sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Revista Diálogos da UCB recebe textos para publicações

A Universidade Católica de Brasília (UCB) divulga a Ementa da edição número 13 da “Revista Diálogos”. Nela, o tema será "A cultura como dispositivo de inclusão cultural".

A Revista Diálogos da UCB foi criada em 2002, inicialmente para divulgar projetos e ações promovidos pela Pró-Reitoria de Extensão da UCB. A partir de agosto de 2008 o periódico mudou sua linha editorial instituindo mudanças significativas visando a ampliar seu foco de ação para melhor contribuir com a divulgação do conhecimento acadêmico e científico que é produzido “sobre” e “por meio” da Extensão Universitária.

Com isto, a revista passou a ser, no cenário nacional brasileiro, um efetivo espaço de diálogo com a academia presente no sistema de ensino superior, seja por meio da publicação de artigos, políticas e projetos de pesquisadores e instituições de diferentes áreas do conhecimento, seja por meio da cobertura de eventos significativos para a educação superior no Brasil.

A data limite para recebimento dos textos para publicação é dia 20 de setembro de 2010. Abaixo, as normas para publicação na revista.

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS

1. Os artigos devem ser, preferencialmente, inéditos e serão submetidos ao Conselho Editorial da Revista. Nenhuma alteração de conteúdo será feita sem o prévio consentimento do autor. Revisão gramatical será feita pela Diálogos sem consulta aos autores.
2. Os artigos publicados passam a ser propriedade da Revista Diálogos, ficando a sua reprodução total ou parcial sujeita a sua autorização.
3. As idéias contidas nos trabalhos são de absoluta responsabilidade de seus autores.
4. Os trabalhos deverão ter no mínimo dez e no máximo 15 páginas devendo ser digitados em versão word .doc
5. Margens: superior e esquerda com 3 cm e inferior e direita com 2 cm.
6. Tipo de letra: “times new roman”, corpo 12.
7. Espaçamento: 1.5 entre linhas e duplo entre parágrafos; espaço duplo entre partes do texto e entre textos e exemplos, citações, tabelas, etc.
8. Adentramento: parágrafos, exemplos, citações: um toque na tecla TAB (cerca de 5 espaços)
9.Tabelas e anexos devem ser inseridos no corpo do texto. Para anexos de textos já publicados, incluir referência bibliográfica completa e permissão para publicação.
10. Notas (dispostas no pé da página, em ordem crescente, identificadas por número arábico).
11.O texto deve ser apresentado na seguinte seqüência: título do trabalho, nome(s) do(s) autor(es), resumo, abstract, palavras-chaves (em português e em inglês) texto, fontes (se for o caso) e bibliografia.
a) Títuto: centralizado, em negrito.
b) Subtítulos: sem adentramento, numerados em arábico (Introdução: 0).
c) Nome(s) do(s) autor(es): abaixo do título, seguido de nota 1, incluída no pé da pagina, onde devem ser dispostos a identificação sobre a instituição a qual pertence, seguida de uma mini biografia, com o máximo de cinco linhas. Letras maiúsculas apenas para as iniciais e para o sobrenome principal.
d) Abstract e Resumo: as palavras ABSTRACT e RESUMO em maiúsculas, seguidas de dois pontos, sem adentramento. Máximo de 500 caracteres. O abstract deve ser disposto logo abaixo do resumo.
e) Referências no corpo do trabalho: nome do autor e, entre parênteses, data identificadora da edição da obra (seguida de dois pontos e número da página, se for o caso).
12. Os textos devem ser enviados por e-mail para o seguinte endereço: revistadialogos@ucb.br
13. Os autores serão avisados por e-mail da decisão dos membros do conselho sobre a publicação do texto proposto.



Serviço


Revista Diálogos
Editores: Prof. Dr. Jorge Hamilton Sampaio
Prof. Dra. Liliane Machado
UCB - Universidade Católica de Brasília
Pró-Reitoria de Extensão
Diretoria de Programas Comunitários
Campus I Sala L-005 D
Fone: (61)3356-9088
Contato: revistadialogos@ucb.br

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Salão Universirário da UCPel


A Universidade Católica de Pelotas (UCPel), no ano em que completa o seu cinqüentenário, realizará entre os dias 26 e 29 de outubro, o 1º Salão Universitário. O principal objetivo do evento é possibilitar um espaço de discussão sobre extensão e pesquisa na comunidade acadêmica.

O Salão Universitário é um projeto que une o 19º Congresso de Iniciação Científica (CIC), o 2º Congresso de Extensão e a 9ª Mostra de Pós-Graduação. Neste ano, a apresentação dos trabalhos será totalmente oral e não com a utilização do formato de pôster.

O período de inscrição vai até 26 de setembro e contempla alunos de pós-graduação, bolsistas e não bolsistas de pesquisa e extensão da UCPel e de outras Instituições de Ensino Superior (IES), além de ouvintes. Para mais informações, os interessados podem visitar o site do Salão Universitário (http://www.ucpel.tche.br/salao) ou ainda entrar em contato pelo telefone (53) 2128.8012.

Serviço
Data: 26/10 a 29/10/10
Local: UCPel, Pelotas - RS
Inscrições: até 26/09/10
Telefone: (53) 2128-8000

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Banco do Brasil abre programa para selecionar projetos para receber patrocínio

O Programa de Patrocínios Banco do Brasil 2011 está com as inscrições abertas até o dia 08 de setembro de 2010. Tem por objetivo definir projetos a serem apoiados pela instituição em 2011, por intermédio de chamada pública, com inscrições pela Internet, análise por Comissões de Seleção Internas, aprovação pelo Conselho Diretor do Banco do Brasil e validação pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República – Secom/PR.
Os recursos serão destinados à realização de projetos institucionais e negociais, com início entre 1º de fevereiro de 2011 e 31 de dezembro 2011.
Por projetos institucionais entende-se aqueles que são:
a) ambientais – voltados à educação ambiental e à interação sustentável entre entre o ser humano e o meio ambiente, tendo como premissas:
a.1) a disseminação, entre os diversos extratos da sociedade, de conhecimentos e práticas ligadas à ecologia e ao meio ambiente;
a.2) a discussão sobre a conservação ambiental e a interação do ser humano com o meio ambiente;
a.3) a disseminação de práticas de integração entre o cenário urbano e o meio ambiente;
a.5) a possibilidade de se desenvolver ações de relacionamento com clientes do Banco do Brasil durante os projetos.
b) sociais – voltados à responsabilidade social, tendo como premissas:
b.1) o foco na capacitação de cadeias produtivas, favorecendo o desenvolvimento regional sustentável;
b.2) a disseminação, entre os diversos extratos da sociedade, de conhecimentos e práticas voltadas à responsabilidade social;
b.3) a inserção socioeconômica;
b.4) a promoção da cidadania e do desenvolvimento humano;
b.5) a possibilidade de se desenvolver ações de relacionamento com clientes do Banco do Brasil durante os projetos.
c) culturais – têm como foco de atuação a cultura e a arte-educação, tendo
como premissas:
c.1) a materialização dos conceitos de brasilidade e inovação;
c.2) a disseminação, entre os diversos extratos da sociedade, de conhecimentos e práticas voltadas à cultura;
c.3) a inserção cultural;
c.4) o respeito à diversidade étnica e cultural;
c.4) a possibilidade de se desenvolver ações de relacionamento com clientes do Banco do Brasil durante os projetos.

Para saber mais da resolução e do programa de patrocínio, acesse o
edital no site do Banco do Brasil (www.bb.com.br) .

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Conhecer para respeitar

Projeto que resultou em livro, em escola de Londrina, mudou a percepção dos adolescentes em relação à velhice

por Silvana Leão - da Folha de Londrina

O lançamento de um livro, na tarde de hoje, no Colégio Padre Wistremundo Roberto Peres Garcia, na Zona Norte de Londrina, será um marco para os adolescentes que participaram de sua produção. A obra, chamada ''Histórias de Vida: integrando jovens e idosos'', é resultado das atividades desenvolvidas na escola pelo Grupo de Estudo sobre Envelhecimento (Gesen), da Universidade Estadual de Londrina (UEL), e mudou a visão sobre o envelhecimento de seres humanos que se preparam para sair da condição de quem é cuidado e assumir o papel de cuidadores.

A publicação nasceu das ações do projeto de extensão Atenção Integral e Interdisciplinar a Idosos na Comunidade (Aenic), coordenado pelas professoras Mara Solange Gomes Dellaroza, do curso de Enfermagem, e Sandra Perdigão Domiciniano, do curso de Serviço Social. No colégio, foram utilizadas diferentes estratégias para provocar a reflexão sobre o envelhecimento populacional e suas repercussões pessoais e sociais. Uma das estratégias foi a promoção de encontros quinzenais, entre coordenadores, alunos de 6 série e idosos (avós, bisavós ou mesmo vizinhos) para o registro de seus relatos, que agora fazem parte do livro.

''Nos reuníamos à noite, aqui na escola. Muitas vezes chorávamos juntos, diante de histórias emocionantes. Foram dois anos de muito trabalho, mas o resultado foi gratificante'', afirma o professor de Língua Portuguesa Odair Galvão, que orientou e organizou a elaboração das histórias. Ele lembra que a ideia do livro nasceu durante o projeto, diante da riqueza dos relatos. Hoje, além da publicação, os educadores comemoram a mudança de comportamento dos adolescentes. ''Muitos não respeitavam os avós, chegavam a menosprezá-los. Depois desta experiência, a relação entre eles mudou'', ressalta Galvão.

O livro traz histórias reais, cheias de lutas, sofrimentos e vitórias. Desenhos também feitos pelos alunos, retratando pessoas e objetos antigos, ilustram a obra. Os cinco primeiros capítulos foram elaborados pelos docentes da universidade e buscam apresentar ao leitor algumas nuances do envelhecimento e da vida dos idosos. ''Se a criança tem conhecimento sobre o que é envelhecer, dará mais importância a um estilo de vida saudável e passará a enxergar o idoso não como um peso, mas como alguém que detém cultura e experiência de vida'', observa a professora Sandra Domiciniano.

''Antes eu não ficava muito com a minha vó. Hoje eu percebo que ela é legal'', diz Giovana de Araújo Pradao, de 13 anos. Mais do que descobrir uma boa companhia, porém, a adolescente aprendeu a respeitar a mãe de sua mãe, de 67 anos. ''Antes eu tinha que respeitá-la por obrigação. Hoje faço isso porque entendo suas limitações.''

Amanda Paulina Nunes da Silva, de 14 anos, descobriu que por trás da expressão de serenidade da avó, de 72 anos, há uma história de vida cheia de privações. ''Ela nunca deixou transparecer todas as dificuldades que passou. Agora que conheço um pouco do seu passado a respeito mais'', revela a garota.

A avó, por sua vez, também diz ter gostado da experiência: ''Eu nunca tinha tido oportunidade de contar as histórias do meu passado para os netos. Acho importante eles saberem que a vida da gente não foi fácil como a deles. Não fosse esse convite feito pela escola, eles nunca saberiam'', afirma a avó de Amanda, Sebastiana Cândido dos Anjos, uma mineira que passou fome na infância e nunca teve tempo para brincadeiras.

Teatro e sorvete para crianças carentes

por Silvana Leão - da Folha de Londrina

Sob uma pequena sombra, em um dos pontos mais distantes da comunidade conhecida como Morro do Carrapato (Zona Leste de Londrina), dezenas de crianças conheceram na manhã de ontem a magia do teatro e se deliciaram com a distribuição de sorvete. A festa foi organizada pelo casal Marcelo e Maria Luiza Casanova, fundadores do projeto Galera de Deus, que atua desde o ano passado junto a comunidades carentes com distribuição de alimentos e atividades nas áreas de saúde e educação.

Segundo Maria Luiza, que é professora da Universidade Estadual de Londrina (UEL), eventos como o organizado ontem são importantes para fortalecer os vínculos com as famílias. O casal aproveita o contato com as crianças, por exemplo, para ensinar conceitos positivos, como higiene, organização, respeito ao próximo e honestidade. ''Queremos quebrar o ciclo da pobreza e da violência. E quando trabalhamos na própria comunidade, dentro da realidade destas famílias, as ações são mais eficazes'', afirmou Maria Luiza.

Antes da sorvetada, as crianças que se acotovelaram em torno do palco improvisado se divertiram com uma boneca de pano que 'fala'. A ventríloqua Patrícia de Sá Maia, da Pati Cia. Teatro de Bonecos, garantiu a diversão do domingo. ''Nunca tinha visto isso'', revelou Amanda Carolina da Silva, de 11 anos, enquanto permanecia de olhos vidrados na agitada boneca.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Projetos de Extensão da UEL estão em programa de TV da SETI

A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) começará a veicular na televisão o programa "Ultrapassando Fronteiras", apresentando alguns projetos integrados ao programa Universidade Sem Fronteiras.

O programa será veiculado na TV Educativa, a partir deste sábado (21/08), às 17h50, durante o período eleitoral. Depois ele retorna a seu horário normal: 17h30. A TV Educativa pode ser sintonizada no canal 9 da Sky, 115 da Net, 9 da TVA, 13 da parabólica e na frequência 1320, horizontal.

Entre os projetos apresentados, estarão três da UEL: "Design sustentável em micro-empreendimento social - geração de trabalho e renda em comunidade artesanal"; "Aprimoramento de estratégias no serviço de aconselhamento genético" e "Diálogos e trocas: experiências com ritmos, sons, cor e imagens em movimento com a comunidade do Jardim Josiane".

Atividades Rondonistas - 2 semestre

O evento de extensão "Atividades Rondonistas: da teorização à prática" volta às suas atividades neste sábado (21/08) com a primeira reunião a ser realizada na Sala 420, no CESA, às 14h. Neste segundo semestre, o evento recebeu inscrições de estudantes que estejam cursando a partir do segundo ano do curso. As reuniões serão realizadas a cada quinze dias.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Lançamento do Natal do Amor

Na próxima sexta-feira, dia 20 de agosto, acontecerá o lançamento do Natal do Amor 2010.
A campanha é realizada pelo Comitê Gestor do Natal de Londrina, um grupo que vem crescendo e hoje conta com quase 50 entidades, parceiros e colaboradores e desde sua criação, no segundo semestre de 2008, tem tido apoio institucional e financeiro do poder público municipal.
O evento vai acontecer no saguão da Prefeitura Municipal de Londrina, às 08:30 horas.
Para quem quiser conhecer saber mais da Campanha Natal do Amor pode acompanhar o trabalho realizado no ano passado em Londrina pelo site oficial.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Rondonistas relatam experiências de cidadania

da Agência UEL



Estudantes da UEL que integraram a operação do Projeto Rondon, em julho último, no Nordeste brasileiro, entregaram hoje os troféus de participação nas missões, conferidos pelo Ministério da Defesa. Os troféus foram recebidos pela reitora Nádina Aparecida Moreno e pela vice-reitora, professora Berenice Quinzani Jordão.

Embora os troféus simbolizem a atividade da Universidade no projeto, o que mais ficará marcado certamente são as lembranças dos estudantes e professores, que vivenciaram as dificuldades dos municípios de Bom Jardim (MA) e de Belém de São Francisco (PE). As atividades rondonistas são sempre realizadas em cidades pobres, cujas realidades são marcadas por sérios problemas sociais e quase nada de infraestrutura urbana.

Os estudantes relataram que a experiência foi válida para melhorar a impressão sobre o Brasil que precisa ser assistido e melhorado. Os estudantes contaram que idealizaram a revitalização de uma praça, que acabou motivando a população local. Equipamentos urbanos ganharam nova vida com pintura; a praça ganhou brinquedos simples – balanços feitos com cordas. “O brinquedo estava sendo finalizado e as crianças já faziam fila”, contaram os estudantes.

A reitora lembrou que foi rondonista em 1979, quando estudante de Biblioteconomia da UEL. A experiência da reitora foi na cidade de Limoeiro do Norte, no Ceará, onde os estudantes cumpriam as atividades utilizando bicicletas, não havia água encanada e nem energia elétrica. O relato da reitora mostrou que são mais de três décadas que UEL participa das atividades do Projeto Rondon, tentando minimizar a realidade dura de um Brasil que pouco aparece.