segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Termina a Operação Carajás – Projeto Rondon


Otávio Cezarini Ávila – (Relações Públicas UEL)


Chegou ao fim o Projeto Rondon para aqueles que realizaram a Operação Carajás, nas regiões do sul do Pará e norte do Tocantins.


Foram 15 dias de aprendizados, amizades, desafios e surpresas. Os 20 rondonistas da UEL e da PUC Minas que foram à Rio Maria-PA puderam vivenciar um Brasil distinto de onde moram e perceberam através desta oportunidade que o Projeto Rondon proporciona conhecer de fato o quanto o nosso país é rico em diversidade.

Em todas as cidades foram dois encerramentos. Um no próprio município, com a comunidade, e outro em Marabá-PA junto às Forças Armadas e aos 400 rondonistas que realizaram a Operação Carajás.

Em Rio Maria a primeira comemoração se deu através de uma Noite Cultural. Durante toda a última semana os rondonistas (em especial da PUC Minas, que idealizaram o evento) convocaram a população a mostrar seu talento em apresentações de dança, teatro, música ou qualquer coisa que tivesse valor cultural. Ao todo, foram 12. E mais do que isso o que valeu foi o último momento entre Rondon e comunidade. Momento de celebrar, agradecer e sorrir juntos.


Já em Marabá todos foram palco e platéia. Houve as costumeiras apresentações das cidades, premiações às universidades e um até breve. O Major Vial, condutor da solenidade de encerramento, concluiu o dia com uma frase marcante: “Missão Cumprida”, aludindo à frase do batalhão: “Missão dada, Missão cumprida”. A missão foi dada, a missão foi cumprida e porque não um acréscimo: a missão foi vivida, por todos nós. SELVA!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O poder da união

por Otavio Cezarini - Rio Maria/ Pará


Os últimos momentos do Projeto Rondon em Rio Maria estão chegando ao fim. Foram duas semanas de oficinas e palestras que contribuíram em um acréscimo de conhecimento coletivo.

Nesta matéria, a equipe do Projeto Rondon quer ressaltar não só as oficinas, mas o trabalho de mobilização popular, em especial o realizado pela rádio comunitária Berokan FM, que acompanhou de perto os rondonistas. Desde a chegada do grupo os comunicadores se disponibilizaram ao Projeto, abrindo espaços na programação e fazendo reportagens.

A equipe do Rondon quer fazer seu agradecimento especial a todos estas instituições que colaboraram decisivamente para que as ações pudessem acontecer. Aqui, não apenas a Rádio Berokan com sua divulgação, mas também à Associação de Cultura, Meio Ambiente e Comunicação de Rio Maria (ACARM) pela infra-estrutura disponibilizada, à Igreja Católica local, EMATER e especialmente à Prefeitura Municipal, que deu todo o aporte para que a operação pudesse ser bem realizada.

Hoje ainda a população quis fazer seu agradecimento. Alguns moradores vieram até o CRAS (onde a equipe está alojada) e entregaram presentes a todos. E para finalizar bem o dia e a Operação será realizada a Noite Rondon Cultural, que contará com a apresentação de grupos culturais da cidade e do próprio grupo dos rondonistas. Os últimos momentos estão chegando ao fim, mas promentem deixar muitas lembranças a todos.


Há poucos dias do encerramento das atividades rondonistas

por Otavio Cezarini - Rio Maria/Pará


Há poucos dias do encerramento das atividades rondonistas os estudantes alocados em Rio Maria puderam descansar e ao mesmo tempo descobrir um pouco mais sobre a cidade do sul do Pará.

Ao longo do dia foram realizadas oficinas de artesanato, horta comunitária e inclusão digital, além de palestras de planejamento de tempo e finanças públicas.

No entanto, o dia dos rondonistas teve destaque no cinema. Junto à comunidade, o Cine Rondon (que já havia colocado em cartaz os filmes “Saneamento Básico” e “Narradores de Javé”) encerrou suas exibições com o filme infantil “Sem Florestas”. Mesmo com chuva as crianças apareceram e puderam conhecer ao mesmo tempo o que é o Projeto Rondon de um modo mais divertido.

Mas não foi só esta a sessão de cinema vista no dia 26. Ao final da noite a equipe teve um momento ilustre com uma personalidade da cidade. Luzia Canuto, filha de João Canuto, sindicalista assassinado na década de 80, aproveitou o momento para compartilhar a vida de seu pai e de tantos outros mortos pela luta de terras, incluindo a de Expedito Ribeiro de Souza (também sindicalista), pai de uma das cozinheiras dos rondonistas. A conversa foi precedida pelo documentário “Mulheres, Mães e Viúvas da Terra” que demarca nas terras de Rio Maria a sobrevivência da luta e da esperança contínua por justiça.

Hoje os tempos são outros, Rio Maria tem evoluído e o clima de paz vem se concretizando. Os rondonistas chegam neste rico universo de conquistas e perdas em 2011 quando estas mesmas divergências já não são tão acirradas. No entanto, o resgate histórico se faz importante não só para a informação dos universitários, mas sobretudo para que vidas como a de Canuto e Expedito possam fazer eco através dos tempos.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

SAÚDE EM AÇÃO – SANTANA DO SÃO FRANCISCO – SE

por Priscila Rosa Lima - Santana do São Francisco/Sergipe

Hoje, dia 25 de janeiro, foi um dia muito produtivo para a área da saúde. A população curiosa e em busca por informação não deixou de comparecer a nenhuma das oficinas. Houve debate e troca de idéias com a equipe de rondonistas.

Na oficina de sexualidade, por exemplo, foram discutidos temas do cotidiano e sanadas muitas dúvidas dos participantes, coisas que até mesmo os rondonistas de outras áreas não tinham conhecimentos claros. A palestra, de publico exclusivamente feminino, propiciou abertura para perguntas e comentários, estimuladas por dinâmicas que ajudou na desinibição de todos.




Pode-se perceber que o conteúdo abordado foi realmente importante e proveitoso, de forma que, ao final da oficina os presentes agradeceram e manifestaram que vão divulgar para que seus amigos e familiares também participem das palestras.

Tambem houve uma grande adesão da comunidade nas palestras para o público de diabéticos e hipertensos, e as inscrições ultrapassaram o esperado, de maneira que mesmo após o inicio das palestras o publico continuava a chegar para assistir. Foram realizados três encontros com cada grupo de idosos, e foram discutidos os que são as doenças e seu tratamento. No ultimo encontro com o grupo de idosos, alem do acompanhamento e aferição da pressão, também foi dada instruções de exercícios físicos que ajudam na melhora da doença.

Em todos os trabalhos realizados, os rondonistas já têm sentido uma grande aceitabilidade do trabalho realizado com a comunidade, o que tem sido satisfatório para todos.

As propostas continuam, a divulgação cresce e fortalece dia-a-dia o número de inscrições. Todos estão animados e felizes com os resultados até o momento.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

À beira do Rio São Francisco

por Priscila Rosa Lima - Santana do São Francisco/Sergipe



À beira do Rio São Francisco, a cidade interiorana do Sergipe conquistou os rondonistas desde a chegada. Pequena por natureza, mas com riquezas naturais indescritíveis. O povo vive principalmente da venda de seu artesanato e da pesca às margens do rio.
As equipes: UEL e USP puderam se conhecer melhor e na vigem houve grande interação. Agora é trabalhar junto para conquistar os objetivos das atividades a serem desenvolvidas.

Hoje o dia será corrido para as duas equipes. A manhã já começou com tudo. Os 16 rondonistas, mais os 4 professores, em diferentes frentes, saíram pela cidade realizando a divulgação dos trabalhos, que iniciam-se nesta tarde.


A escola em que estamos hospedados está também realizando as inscrições e hoje, durante toda a manhã, esteve cheia de gente interessada para as mais variadas oficinas.


A expectativa até o momento é de que as oficinas serão muito bem aproveitadas, abrangentes, no que diz respeito ao público alvo, e realmente úteis para a população.

Agora é continuar!

Dias especiais no final de semana em Rio Maria


por Otávio Cezarini - Rio Maria/Pará




O trabalhou continuou com tudo no final de semana em Rio Maria para os rondonistas. Foram realizadas muitas oficinas e atividades diferenciadas para os moradores da área rural de 3 comunidades.

No sábado, os universitários planejaram o Dia de Campo e o Dia da Saúde. O primeiro, realizado na Vila Betel teve na parte da manhã confecção de queijo e recreação. A parte da tarde reservou aos rondonistas uma visita a uma propriedade rural onde todos puderam compreender a melhor maneira de manejo de vaca leiteira.

Já no Marajoara e Zona das Placas foram realizados o Dia da Saúde no sábado e no domingo, respectivamente. Os dois dias tiveram a mesma programação e chamaram a atenção de muitos moradores, dos mais velhos aos mais novos.

Outra atração do domingo foi o Cine Rondon, que passou o filme brasileiro “Saneamento Básico” (2007) e terá seguimento na terça-feira com o também filme nacional “Narradores de Javé” (2001). A sessão contou com um bom público e teve um debate proveitoso ao final. No domingo também os universitários trabalharam pelo CRAS, local onde estão alojados. Durante a manhã alguns se mobilizaram para plantar árvores e melhorar o jardim.

O final de semana foi especial para os rondonistas e moradores. Já no início da semana as oficinas cotinuam. O Dia da Saúde prossegue até terça-feira em bairros diferentes e o meio ambiente continuará recebendo destaque na programação. Mais informações em breve!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Primeiros dias – Aracajú-SE


por Priscila Rosa Lima - Santana do São Francisco/Sergipe

A equipe de rondonistas da UEL, Operação Rio dos Siris chegou a Aracajú pela tarde e foram recepcionados pela equipe do 28° Batalhão de Caçadores e hospedados no quartel do exército. A banda oficial do exército, que com sua corneta foi capaz de nos entorpecer a seus hóspedes com seu som grave.

Ansiosos os rondonistas foram brindados com o desfile de formatura do exército, muito bonito de se ver. Todos se movimentam de acordo com a música tocada pela banda, e a cada comando. Alguns impondo armas, outros simplesmente realizando posições de sentido, como nos filmes.

A comida do quartel é feita pelos próprios soldados. Ultrapassou em tudo nossas expectativas. Tudo é muito limpo e organizado.

Houve reunião com todos os rondonistas do Brasil onde foram apresentadas as equipes e também uma palestra sobre a história e cultura do Estado. Ouvir os gritos de guerra de todas as universidades, misturado com o conhecimento propiciado pelas palestras, foi uma experiência incrível para todos nós da UEL.

Todos estamos muito animados e com grande expectativa em nossas missões.

As viagens têm sido tranquilas, nossa interação com a USP está cada dia melhor.

Agora é avançar para nossa cidade: Santana do São Francisco.

Até lá!

Rondonistas da Operação Rio dos Siris na cidade de Santana do São Francisco/Sergipe



As várias repercussões que o Projeto Rondon pode trazer

por Otávio Cezarini - Rio Maria/Pará


Os rondonistas se depararam com boas surpresas na semana passada. Nesta primeira semana algumas manifestações de carinho e de aprendizado de crianças e adultos alegraram e muito a equipe formada por professores e alunos da UEL e da PUC de Poços.

Uma carta e uma matéria, duas manifestações de públicos diferentes. Uma das mais felizes foi a Nathália Virga (Administração-UEL), que disse: "A menina pediu pra falar o meu nome pra ela copiar com a intenção de escrever uma carta. Depois que ela terminou ela chamou a gente pra ler e emocionou todo mundo". A carta foi feita por Marina (10), que vende picolé pela cidade, mas parava seus afazeres para conversar com os universitários.

Outra manifestação de reconhecimento foi publicada pelo Correio de Tocantins do dia 20 de janeiro. A capa do jornal foi sobre o Projeto Rondon e as primeiras impressões da equipe em Rio Maria.

São as variadas formas de reconhecimento que alegram e motivam o Projeto Rondon acontecer todo ano.


Carta e Foto da Marina




sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

UEL contribui nas primeiras transformações de Rio Maria-PA


por Otávio Cezarini
- Rio Maria/Pará

O dia 19 foi um dia cheio para os alunos da UEL. Dividido em diversas tarefas os 8 universitários londrinenses mais os 2 professores que os acompanham atuaram em várias frentes.

Ao longo do dia os alunos da área de agrárias, meio ambiente, finanças e computação trabalharam tanto na zona rural (Vila Betel) quanto na cidade. Pela tarde, as alunas Débora (Méd. Veterinária), Francisco (Zootecnia) Nathália Virga (Administração), Nathália Cavalacante (Economia) e Carolina (Geografia) trabalharam na zona rural com oficinas de Manejo e Higiene na Ordenha, Controle de Custos, Gestão de Propriedade Rural e Gincana Ambiental, respectivamente. Na cidade, o Vinícius (Ciências da Computação) trabalhou com Informática Básica para servidores municipais e comunidade. À noite, foi a vez do Otávio (Relações Públicas – e este que vos escreve) trabalhar no Planejamento de Mídia com comunicadores e lideranças comunitárias.

Todas as oficinas foram muito bem aproveitadas e participativas, mas a que mais agradou a todos foi o debate realizado pela manhã sobre a Coleta Seletiva do Lixo com vários secretários municipais e lideranças da cidade. As alunas Carolina (Geografia) e Valéria (Agronomia), acompanhadas pela professora Carmen Hilst (Med. Veterinária) e pelo professor Gilberto Hildebrando (Proex) deram um importante passo para a preservação do meio ambiente.

A professora Carmen explicou que a discussão consistiu em viabilizar a melhor opção para a cidade. Para isso, foram apresentados modelos de aterros sanitários e práticas compostagem e coleta seletiva visando a diminuição do lixo e sua destinação correta. Como ainda não há verba para o aterro a coleta seletiva e a compostagem será iniciada na cidade a partir de uma parceria com a Associação de Arte e Cultura, Meio Ambiente e Comunicação de Rio Maria (ACARM). Carmen disse que ficou decidido que uma composteira e uma horta comunitária serão criadas na Associação e o lixo reciclável será repassado aos garis para que estes possam dar o destino correto. E ainda completou: “Foi ótimo, pois conseguimos um lugar para a compostagem, horta e destino do lixo”.

Aos poucos a cidade de Rio Maria vai compreendendo o espírito rondonista e abrindo ainda mais as portas para as melhorias necessárias. Este é o grande objetivo da nossa Universidade Estadual de Londrina com a sociedade.


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

População e universitários se encontram em Rio Maria




por Otávio Cezarini - Rio Maria/Pará

O dia 17 foi marcante para os rondonistas de Rio Maria e para os moradores da cidade. Pela primeira vez universitários e comunidade se encontraram e puderam se conhecer.


Ao longo do dia os alunos e professores fizeram um mapeamento da área urbana e rural, conversaram com os moradores e servidores públicos. E o final do dia reservou um momento especial. A solenidade de abertura, realizada a noite no Salão Paroquial, contou com a presença de autoridades municipais, incluindo o prefeito Walter José da Silva e representantes da Câmara de Vereadores e Associação Comercial. Além disso, compuseram a mesa os professores coordenadores do Projeto Rondon e o Sargento Paes, que representou o Ministério da Defesa.


Além dos agradecimentos e promessas de muito trabalho durante os próximos dias os rondonistas mostraram à cidade a programação das oficinas e palestras. Em contrapartida, os universitários puderam sentir a força cultural da região ao assistir apresentações de carimbó, capoeira e até mesmo axé. Para Carolina França, do curso de geografia da UEL, a solenidade demonstrou bem a cultura local e pode se sentir acolhida porque a população compareceu em bom número.


Hoje, dia 18, as atividades começam. As primeiras serão de capacitação aos produtores rurais, oficina de meio ambiente com as crianças, ética, inclusão digital e saúde para os idosos.


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Chegada em Rio Maria

por Otávio Cezarini - Rio Maria/Pará

Os 20 rondonistas da UEL e da PUC de Poços de Caldas chegaram hoje ao meio dia (horário local - ou seja, uma hora a menos) na cidade de Rio Maria-PA.

Os estudantes e professores estão acompanhados pelo Sargento Paes, o “anjo” do grupo e todos estão alojados no CRAS municipal. Além do bom alojamento, o pessoal ainda recebeu apoio humano de funcionários do município.

O dia foi mais para descanso para os alunos e integração das duas universidades. Já para os professores, não. Os quatro responsáveis, mais o nosso “anjo” participaram de uma conversa com vários secretários e assessores municipais. Para a professora da PUC Maria José Scassiotti, o encontro foi totalmente proveitoso, pois puderam incrementar a programação das atividades baseando-se na realidade e necessidades de Rio Maria. A professora também ressaltou o ânimo dos servidores: “Altamente receptivos, facilitaram a infra-estrutura e no deram todos os meios para realizarmos a operação”.

UEL inicia atividades no Projeto Rondon

Texto de Otávio Cezarini Ávila - Rio Maria/Pará


Os rondonistas da UEL enfim chegaram ao estado do Pará, destino dos 10 integrantes da comitiva londrinense após uma longa jornada de mais de 24 horas.

A equipe formada por 8 graduandos e 2 professores saiu de Londrina no dia 14 pela manhã, passou por Curitiba, São Paulo e Brasília. Como houve atrasos no vôo, os rondonistas dormiram na capital brasileira e retomaram a viagem no dia seguinte. Às 10h40 (horário de Brasília) chegaram a Marabá e foram recebidos pelo Sargento Paes, o “anjo” da equipe durante as duas semanas de trabalho, e foram encaminhados à solenidade de abertura.

E não foi só a UEL que foi recebida em Marabá. Outras 40 universidades se fizeram presentes na solenidade que abriu oficialmente a Operação Carajás do Projeto Rondon e puderam ouvir personalidades, autoridades e sentir a força motriz do projeto: o amor à pátria.

Durante todo o dia todos os 400 rondonistas vinculados à Operação participaram de oficinas de selva no 52 Batalhão de Infantaria de Selva, localidade de trabalho de dezenas de oficiais militares que zelam pelo Pará. O dia foi finalizado com a palestra do Coronel Samuel, comandante do Batalhão. Em sua fala ele ressaltou o trabalho dos militares que, segundo ele, têm se voltado para a segurança do Brasil e “embora não queira nunca passar por uma guerra, estaremos sempre preparados para a esta possibilidade”, mostrando assim a doação dos homens oficiais pelo país.

Até o dia 30 muitas notícias serão mandadas. A partir do dia 16 os rondonistas da UEL se juntam com a equipe da PUC Poços e se voltam à Rio Maria para muitas ações, aprendizados e vivências inesquecíveis.


Equipe UEL – Operação Carajás:


Carmem Hilst (coordenadora)

Caroline França (geografia)

Débora de Carvalho (veterinária)

Francisco Fernandes (zootecnia)

Gilberto Hildebrando (coordenador)

Marcus Vinicius Bortolotti (ciência da computação)

Nathália Bernardes (administração)

Nathália Cavalcanti (economia)

Otávio Ávila (relações públicas)

Valéria Balan (agronomia)

Equipe da UEL embarca para Projeto Rondon no Pará



A primeira equipe da UEL a atuar no Projeto Rondon em 2011 embarcou sexta-feira (14/01) para o município de Rio Maria, no Pará. Composta por dois professores e oito estudantes, o grupo da Operação Carajás atuará na ação B com foco nas áreas do Meio Ambiente, Comunicação, Tecnologia e Produção, Trabalho. O grupo ficará em Rio Maria até o dia 30 de janeiro.

O Projeto Rondon é coordenado pelo Ministério da Defesa e tem como objetivo a integração social e a prática extensionista. Ele envolve a participação voluntária de estudantes universitários que buscam soluções para contribuir com o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes, ampliando o bem-estar da população. Além do benefício recebido pela população, o projeto é uma oportunidade para os acadêmicos se aproximarem da realidade do Brasil.

As atividades realizadas pelos rondonistas nos municípios em que atuam concentram-se nas áreas de comunicação; cultura; direitos humanos e justiça; educação; meio ambiente; saúde; tecnologia e produção e trabalho.

A equipe da UEL na Operação Carajás é formada pelos professores Carmen Hilst e Gilberto Hildebrando e pelos estudantes Carolina Nunes França (Geografia), Débora Dias de Carvalho (Med. Veterinária), Francisco Fernandes Júnior (Zootecnia), Marcus Vinicius Ventura Bortolotti (Ciências da Computação), Nathália Cristina Bernardes Virgan (Administração), Nathália dos Santos Cavalcante (Ciências Econômicas), Otávio Cezarini Ávila (Comunicação Social – Relações Públicas), Valéria Feltrin Balan (Agronomia).

O grupo que participará da ação A com a Operação Rio dos Siris, embarcará quinta-feira (20/01) para atuar no Projeto Rondon em Santana do São Francisco – SE.