quinta-feira, 28 de julho de 2011

Projeto da UEL é avaliado por consultor de prêmio nacional

O consultor do Prêmio Innovare, o advogado Luiz Assi, verificou hoje o trabalho realizado pelos professores e estudantes integrantes do Núcleo de Estudo e Defesa dos Direitos da Infância (NEDDIJ), projeto de extensão que presta atendimento multidisciplinar a crianças e adolescentes vítimas de abuso.

A avaliação tem o objetivo de verificar a prática jurídica desenvolvida, considerando os resultados práticos alcançados. O prêmio é uma iniciativa do Instituto Innovare, associação sem fins lucrativos que tem o objetivo de dar visibilidade a projetos que colaborem com a modernização da Justiça Brasileira.

Segundo o consultor, o levantamento não considera qualquer juízo ou julgamento das atividades do projeto. Cabe a ele produzir um relatório com riqueza de detalhes e encaminhá-lo à comissão julgadora, formada por 27 juristas – ministros do Supremo Tribunal Federal, juízes e advogados com larga experiência.

“O prêmio não admite ideias, é preciso comprovar uma boa prática, que de alguma forma favoreça uma Justiça mais célere”, resumiu o consultor. Segundo ele, o Paraná deverá ter uma participação representativa nesta oitava edição do prêmio, que prevê cinco categorias: premiação especial, Ministério Público, juiz independente, advocacia e Defensoria Pública. O projeto da UEL concorre na categoria advocacia, que tem 100 projetos inscritos em todo o país, sendo oito do Paraná. O resultado da oitava edição do prêmio será divulgado durante cerimônia no dia 15 de dezembro, às 11 horas, no Hall dos Bustos do Supremo Tribunal Federal, em Brasília (DF).

O Núcleo de Estudo e Defesa dos Direitos da Infância reúne uma equipe de professores, estagiários e bolsistas da área de Direito e Psicologia. O NEDDIJ funciona em uma sala do Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos da UEL, na Rua Brasil, 742, Centro de Londrina. A coordenadora do núcleo é a professora de Direito da Família, Claudete Canezin.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Reitora se reúne com rondonistas da Operação Peixe-Boi

Agência UEL

A reitora Nádina Moreno, da UEL, reuniu-se hoje, 26, na Sala dos Conselhos, com os oito estudantes que retornaram da Operação Peixe-Boi do Projeto Rondon, no Amazonas, acompanhados dos professores Sinival Osório Pitaguari e Rosângela Maria Pinto Moreira. O grupo entregou à reitora da UEL o troféu de participação no Projeto Rondon 2011.

O encontro contou também com as presenças da vice-reitora Berenice Quinzani Jordão, da pró-reitora da Extensão Cristianne Cordeiro Nascimento, além de integrantes da Proex. Os participantes da Operação Peixe Boi, formada por estudantes de Administração, Agronomia, Biologia, Geografia, Jornalismo e Medicina Veterinária; relataram suas atividades na cidade de Careiro da Várzea, no estado do Amazonas, e observaram que a delegação da UEL mostrou muito mais organização e afinação com as necessidades da localidade.

O professor Sinival Pitaguari expôs a ação do grupo, durante 17 dias, voltada para os produtores rurais, enquanto uma estudante lembrou que por lá, os bois nadam literalmente. Já a professora Rosangela Moreira completou que se surpreendeu com o animal de estimação de um morador: um peixe pirarucu, que responde ao chamamento dele como qualquer outra bicho amigo.

Depois da experiência de ver a vida em palafitas, o cultivo da terra em hortas suspensas, vacas e bois nadando, e vivenciar a falta d’água, os rondonistas tiveram muito o que contar para a direção da UEL.

A reitora Nádina Moreno completou que “a vida da turma da Operação Peixe-Boi agora pode ser descrita em dois períodos: antes do Rondon e depois do Rondon, portanto em AR e DR”. Ela emendou o discurso destacando que também já havia participado do Projeto Rondon, há 30 anos, quando esteve atuando em Limoeiro do Norte, no Ceará. O mesmo foi dito pela vice-reitora Berenice Quinzani Jordão: também rondonista, quando universitária.

Labted abre inscrições para cursos em agosto

Estão abertas as inscrições para os seguintes cursos promovidos pelo Laboratório de Tecnologia Educacional (Labted) da UEL: “Comunicação Didática: Habilidades de Ensino – Microensino”; “Elaboração e Apresentação de Trabalho Científico”; “Aprenda a Comunicar-se em Palestras” e “A Intencionalidade Pedagógica no Ambiente Virtual de Aprendizagem – Ênfase em Apresentação de Vídeo-Aula, Teleconferência e Skype”.

Os cursos, voltados à a discentes, docentes, funcionários e comunidade externa, visam o aperfeiçoamento do desempenho dos participantes em diversas áreas, tanto no âmbito pessoal quanto profissional.

As inscrições podem ser feitas diretamente na secretaria do Labted, em horário comercial.

A coordenação dos cursos é do professor Pedro Paulo da Silva Ayrosa.

Mais informações pelo telefone 3371-4518 e pelo site: http://www.uel.br/labted.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Edital Universal – CNPq Nº14/2011

O Ministério da Ciência e Tecnologia e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq tornam pública a Chamada de Nº 14/2011, que tem como objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos que visam contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico e inovação do País, em qualquer área de conhecimento.

O recurso total disponível é de R$ 120 milhões, sendo R$ 50 milhões oriundos do orçamento da CNPq e R$ 70 milhões de Fundos Setoriais. Os recursos serão liberados em duas parcelas. As propostas apoiadas deverão ter seu prazo máximo de execução estabelecido em 24 meses.

Os projetos devem estar caracterizados como pesquisa científica, tecnológica ou inovação, e podem se inscrever professores coordenadores que possuam o título de doutor e tenham vínculo formal com a instituição de execução do projeto.

As propostas devem ser encaminhadas ao CNPq exclusivamente via Internet, por intermédio do Formulário de Propostas Online, disponível na Plataforma Carlos Chagas (http://carloschagas.cnpq.br). O arquivo do projeto deve estar anexo à proposta, que pode ser enviada até as 18:00h do dia 08 de agosto de 2011.

Mais informações e o edital, disponível para download, podem ser encontradas no site do CNPq: www.cnpq.br.

Vera Lúcia da Costa

Diretora de Acompanhamento Administrativo em Exercício

Pró-Reitoria de Extensão

quarta-feira, 20 de julho de 2011

UEL só tem mais dois dias de trabalho em Careiro da Várzea

Mais duas comunidades, além da sede do município, já foram atendidas essa semana: Miracauera e Botafogo. Hoje partimos para Curari, uma das comunidades mais distantes – são quase duas horas de distância da sede. Como na maioria dos dias, uma parte do grupo ficará para trabalhar em outro lugar. Desta vez, ocorrerá visitas a pescadores que criam peixes em tanques, uma atividade comum aqui nesta região de várzea no Amazonas.

Como nossa área, ação B, tem o foco em Comunicação, Tecnologia e Produção, Trabalho e Meio Ambiente; as visitas aos produtores da zona rural tem sido as atividades mais atrativas para maioria de nós. É o caso da Helena (Ciências Biológicas) que está trabalhando com os piscicultores, da Deborah (Agronomia) e dos estudantes de Medicina Veterinária, Alessandro e da Bianca.

Não é o meu caso, que estou trabalhando com a Comunicação do município por meio da inclusão digital. Como Careiro da Várzea não tem rádio, emissora de televisão, nem mesmo um diário impresso; o foco está sendo na comunicação via internet. Há pouco tempo, a prefeitura implantou o projeto de internet sem fio na praça da sede do município. A conexão ainda será disponibilizada para todos; por enquanto está limitada.

O Rodolfo e a Ana Camila, de Geografia, trabalham com foco no meio ambiente e a Walkiria, de Administração, com empreendedorismo e economia solidária junto ao professor Sinival. Mesmo com as diversas áreas, quase todos enfrentamos dificuldades em atingir nossos públicos alvos, por problemas na divulgação e de falta de interesse. Por isso, muitas vezes, adaptamos o que faríamos e vamos até eles, mesmo batendo de casa em casa, ou de propriedade em propriedade, para conversar com eles.

Só faltam dois dias de trabalho e começa a bater o desespero de não querer embora de Careiro da Várzea. É claro que há a saudade de casa e de Londrina, mas todos aqui concordam que mais alguns dias para trabalhar aqui seriam mais do que bem-vindos! A programação do Ministério da Defesa é levar a gente para Manaus na sexta-feira de manhã.

SELVA!

Por Fernanda Cavassana
(Estudante de Comunicação da UEL, em Careiro da Várzea - AM)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Rondonistas trabalham em várias comunidades em Careiro da Várzea - AM

Saudações rondonistas!

Seguimos firme com nossa programação aqui em Careiro da Várzea. Durante a primeira semana, trabalhamos em diversos locais, sendo necessário a divisão do grupo, muitas vezes, para que o público correto seja atendido. Em algumas comunidades, enfrentamos dificuldades com nosso público, por falta de uma divulgação do anterior a nossa vinda e de, em muitos casos, interesse de muitas pessoas.

Na quarta-feira, trabalhamos na escola municipal Balbina Nestrinho, em Gutierrez, conhecido como km 13. Além disso, visitamos a colônia e o sindicato dos pescadores da cidade, e também algumas propriedades rurais. Na quinta e na sexta-feira, trabalhamos nas comunidades de Terra Nova e Terra Firme, além da sede do município, chamada pelos moradores de “vila”.

Sendo recebidos na escola Balbina Nestrinho

Nas escolas, algumas oficinas são direcionadas a salas cheias do Ensino Fundamental


Estudantes do Ensino Médio também ouvem palestras sobre o educação ambiental

Reunião com a colônia de pescadores do município

Na sede do município, foram realizadas oficinas sobre Blogs e Empreendedorismo para a Escola Estadual Coronel Fiúza. Já nas comunidades visitadas durante a semana, palestras e oficinas sobre reciclagem; preservação da mata ciliar; compostagem; cuidados na bovinocultura; criação de peixes; uso correto de defensivos agrícolas; e outros temas; foram apresentadas.

Na sede do município, as oficinas são realizadas na Escola Estadual Coronel Fiúza

No sábado, realizamos visitas a propriedades rurais. Seguindo por um braço do rio Solimões, encontramos várias propriedades e casas nas duas margens. A água seguia como uma rua, dividindo as moradias. Nas propriedades, tivemos contato com a criação de peixes e a de bovinos para ordenha.

A produção pecuária foi um dos focos do nosso projeto para Careiro da Várzea. Como a economia municipal gira em torno da pesca, criação bovina e agricultura; trouxemos técnicas e aperfeiçoamentos de baixo custo para que os produtores saibam melhorar a higiene e qualidade de seus produtos para vender mais.

Terminamos o sábado no arraiá da igreja, realizado na praça da sede. Além de prestigiar músicas, danças e comidas típicas, os rondonistas participaram do bingo e até dançaram quadrilha no encerramento.

Agora, temos mais alguns dias e comunidades para trabalhar nesta última semana nossa aqui. Hoje, o grupo partiu para trabalhar em Maracauera. A cada viagem de barco e local visitado aproveitamos para conhecer um pouco mais dessa região tão linda, desde fauna e flora até a cultura e gostos das comunidades locais.

SELVA!

Por Fernanda Cavassana
(estudante de comunicação da UEL, de Careiro da Várzea – AM)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Começam as atividades da UEL em Careiro da Várzea

Saudações rondonistas, começamos a “pôr a mão na massa”.

Na segunda-feira, nos empenhamos com a divulgação de nosso trabalho pela cidade e nos reunimos com autoridades como o secretário de produção, secretário da educação e secretária do meio ambiente. Essas reuniões foram importantes para nós sabermos as especificidades de cada comunidade que atenderemos aqui e as quais são as maiores necessidades de cada uma, adequando tudo o que trouxemos a isso.

Reunião na prefeitura com secretários

Ontem, terça-feira (12/07), começamos a realizar nossas oficinas nas escolas da sede do município, tanto para as crianças menores da “escolinha” da sede, quanto para os maiores do Ensino Fundamental. Durante todo o dia também houve visita a mais comunidades para divulgação. Para isso, nos dividimos em grupos menores. Assim, alguns ficam na sede realizando suas oficinas, outros viajam de barco para divulgação, outros se reúnem com autoridades. E tudo é feito com a parceria da equipe de Unochapecó. Aqui, em Careiro da Várzea, somos um grupo só.

Estudantes do 9 ano da E.E. Coronel Fiúza na oficina sobre internet

Os responsáveis pelas oficinas sobre Meio Ambiente se reuniram com os monitores de um projeto que é desenvolvido na Escola Estadual Coronel Fiúza para repassar o que trouxemos sobre o tema e o que melhor se aplica ao município.

À noite, as crianças assistiram ao Cine Rondon, organizado pelos estudantes da Unochapecó, na praça da cidade. Hoje, passaremos o dia na comunidade Gutierrez, que assim como as demais comunidades dos outros dias, receberá a maioria de nossas oficinas.

Mais uma curiosidade: a farinha usada aqui pelas cozinheiras em nossos almoços chama-se LONDRINA!

Farinha de mandioca usada em nossas refeições

SELVA!


Por Fernanda Cavassana

(estudante de comunicação na UEL, de Careiro da Várzea - AM)

domingo, 10 de julho de 2011

Equipe da UEL viaja para Projeto Rondon no Amazonas

Saudações Rondonistas!

A UEL finalmente chegou em Careiro da Várzea (AM), município que nos recebeu na operação de julho do Rondon este ano. Partimos de Londrina às 6h na sexta-feira, e só conseguimos chegar em Manaus meia noite. A previsão era chegarmos ao meio dia na capital do Amazonas, mas, como o aeroporto de Curitiba estava fechado, passamos por algumas alterações na rota. Algumas horas a mais em aeroportos e passagens por Rio Grande do Sul e São Paulo não nos desanimaram.

O Paraná é o terceiro estado em número no Projeto Rondon em julho deste ano, estamos com 16 equipes entre as quatro operações: Tuiuiú (Mato Grosso); Arara Azul (Mato Grosso do Sul); Oiapoque (Amapá) e Peixe-boi (Amazonas). Desta vez, a UEL só participa da Operação no Amazonas, com ações no conjunto B: que tem as áreas temáticas extensionistas da Comunicação, Tecnologia e Produção, Trabalho e Meio Ambiente como foco.

A nossa equipe é formada pelo professor Sinival Osorio Pitaguari, do Departamento de Economia, e professora Rosângela Maria Pinto Moreira, do Departamento de Biologia Geral; além dos estudantes Alessandro Caseri (Medicina Veterinária); Ana Camila Moreira (Geografia); Bianca Ribeiro de Souza (Medicina Veterinária); Deborah Ingrid de Souza (Agronomia); Fernanda Cavassana de Carvalho (Jornalismo); Helena Paula Viaro (Ciências Biológicas); Rodolfo Rodrigues Souza (Geografia); e Walkiria Val Jordão Gomes (Administração). Uma curiosidade deste grupo é que dos 10 componentes, oito são naturais de Londrina, fortalecendo o nome da universidade e da cidade na amazônia.

Ontem, sábado, recebemos treinamento no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), lugar em que fomos muito bem recepcionados e acomodados nos dois primeiros dias. Além disso, participamos da abertura oficial do Projeto Rondon e assistimos a algumas palestras.

Conforme nos foi apresentado na palestra do professor José Aldemir, reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), somente duas das cidades da Operação Peixe-boi não estão localizadas a beira do rio. Como é o nosso caso, Careiro da Várzea é um município a beira do rio Solimões, que se adapta às várias cheias durante todo o ano.

Aqui em Careiro da Várzea, nos unimos aos dois professores e aos universitários da Unochapecó, que trabalharão com o conjunto A, ações voltadas para Cultura, Educação, Saúde e Direitos Humanos e Justiça.

O Blog Extensão da UEL será o diário de bordo da nossa equipe. Quer saber mais sobre o Rondon? Acesse o site do Ministério da Defesa: www.defesa.gov.br/projetorondon

SELVA!

Por Fernanda Cavassana
(estudante de comunicação da UEL)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

XXV Prêmio Jovem Cientista é lançado no Paraná

Agência UEL

Projeto vai promover encontro com estudantes do ensino superior e graduados e também será apresentado nas escolas do ensino médio e na Secretaria de Educação

O Prêmio Jovem Cientista, que, em sua XXV edição, tem o tema Cidades Sustentáveis, será lançado em Curitiba, nos dias 4 e 5 de julho, segunda e terça-feira, entre estudantes dos ensinos Médio e superior e graduados, e também na Secretaria Estadual de Educação. Equipes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Roberto Marinho, estarão na cidade para divulgar o projeto e incentivar a participação de jovens e pesquisadores no Prêmio, que está com inscrições abertas até o dia 31 de agosto.

Na segunda-feira (4), o lançamento foi realizado no Auditório II da Universidade da Indústria da FIEP / CIETEP, no Jardim Botânico, às 15h. Durante o encontro, Fabiana Cristina De Campos Skrobot, doutora em Ciências e coordenadora de projetos no SENAI/PR, que atua na área de Gestão de Projetos, Gestão do Conhecimento, Estudos de Tendências de Futuro, Prospectiva Estratégica, Roadmapping, Inovação e Cenários, ministrou palestra sobre o tema desta edição. Sandro Scholze, vencedor do 2º lugar da categoria Estudante do Ensino Superior do XIV PJC, cujo tema foi “Novos equipamentos, aparelhos e utensílios para pessoas portadoras de deficiência”, também participa do lançamento e contará sobre sua experiência em participar do projeto. Atualmente, Scholze é gerente de P&D na Landis+Gyr equipamentos de medição.

No dia seguinte, terça-feira (5), será a vez das escolas do ensino Médio e da Secretaria de Educação receberem a equipe do Prêmio. Instituições públicas e privadas serão visitadas. Com o objetivo de facilitar a abordagem do tema desta edição, Cidades Sustentáveis, em sala de aula, o Prêmio Jovem Cientista elaborou um kit pedagógico voltado para professores do Ensino Médio. O material foi produzido pela Fundação Roberto Marinho com base em conteúdos elaborados por especialistas. Há duas versões do kit: a digital, disponível para download no site www.jovemcientista.cnpq.br, e a impressa, distribuída gratuitamente a escolas e professores, de instituições públicas ou privadas, que aderirem à premiação. Os kits impressos podem ser solicitados pelo e-mail jovemcientista@frm.org.br.

Inscrições

As inscrições para o XXV Prêmio Jovem Cientista estão abertas. Os candidatos poderão se inscrever pela internet até o dia 31 de agosto. Estudantes do Ensino Médio também podem enviar suas pesquisas pelos Correios. O regulamento completo do prêmio e a ficha de inscrição estão disponíveis no site do prêmio (www.jovemcientista.cnpq.br). O tema desta edição, que comemora os 30 anos do prêmio e os 60 anos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é: Cidades Sustentáveis.

Os estudantes de ensino médio podem pesquisar uma das seguintes diretrizes: Ambientes sustentáveis: casa, escola, trabalho, espaços públicos; Planejamento urbano e qualidade de vida; Gestão das águas no meio urbano; Políticas de mobilidade nas cidades; Agricultura urbana; Gestão de resíduos: orgânicos, inorgânicos e perigosos; e Impactos das mudanças climáticas nas cidades.

Já pesquisadores e estudantes de nível superior podem inscrever trabalhos relacionados a uma das seguintes linhas de pesquisa: Vulnerabilidade, risco e mudanças climáticas nas cidades; Urbanização, ambiente e gestão das águas urbanas; Produção do espaço urbano e apropriação da natureza relacionada com a questão do solo / água / ventos e dos recursos energéticos; Políticas urbana, ambiental e de saúde relacionadas com a questão do lixo; Planejamento urbano, gestão e conflitos ambientais; Políticas de transporte e de mobilidade nas cidades; Agricultura urbana e cidade sustentável; Implicações socioambientais da legislação urbana; Paisagem urbana e arquitetura sustentável; e Cidades em fronteiras transnacionais e gestão ambiental.

O Prêmio

O Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Fundação Roberto Marinho, a Gerdau e a GE. Quatro categorias são premiadas: Graduado, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio, e Mérito Institucional. Há ainda uma Menção Honrosa para um pesquisador com título de doutor que tenha se destacado por sua trajetória na área relacionada ao tema do prêmio. Os orientadores das três categorias e as escolas dos três classificados do Ensino Médio são agraciados com laptops, como forma de estimular e reconhecer a cadeia de aprendizagem.

Na categoria Mérito Institucional serão premiadas as duas instituições – uma de ensino médio e outra de ensino superior – às quais estiver vinculado o maior número de trabalhos com mérito científico, desenvolvidos por candidatos inscritos nas categorias Graduado, Estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio.

Premiação

Na categoria Graduado, os vencedores são agraciados com R$30 mil (1º lugar); R$20 mil (2º lugar) e R$15 mil (3º lugar). Para Estudantes do Ensino Superior, os valores são de R$15 mil para o 1º lugar, R$12 mil para o 2º lugar e R$10 mil para o 3º lugar. Estudantes do Ensino Médio classificados em 1º, 2º e 3º lugares recebem um laptop de última geração cada um.

No Mérito Institucional, serão pagos R$35 mil para cada uma das duas instituições – uma de Ensino Médio e uma de Ensino Superior - que tiverem o maior número de trabalhos com mérito científico inscritos. O pesquisador que for indicado para a Menção Honrosa ganhará R$20 mil.

Além da premiação relacionada, todos os premiados recebem bolsas de estudo do CNPq, caso atendam aos critérios normativos do órgão, descritos no site www.cnpq.br/bolsas. Os pesquisadores classificados em primeiro lugar em cada uma das categorias (Graduado, estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio), também participarão de Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 2012.

Kit pedagógico

O material está dividido em três partes. O Caderno do Professor traz informações, casos e indicações de fontes sobre questões relacionadas ao ambiente urbano - como planejamento, edificações, mobilidade, agricultura urbana e gestão das águas e dos resíduos. Além disso, trata dos impactos das mudanças climáticas nas cidades. Nos Roteiros de Trabalho, o professor encontrará seis percursos para preparar e aplicar aulas relacionadas ao tema, favorecendo sempre a interdisciplinaridade e a integração dos alunos. Já as Fichas de Atividades reúnem 12 propostas voltadas à experimentação no ambiente de aprendizagem. Elas relacionam o conteúdo dos Cadernos a aspectos do cotidiano, auxiliando na identificação de temas de pesquisa para o Prêmio Jovem Cientista. Por meio das fichas, o aluno é levado a pesquisar fontes bibliográficas e a levantar dados que o ajudarão a compreender os problemas de sua cidade e a propor soluções.

Para orientar os professores no uso do material didático, o Prêmio Jovem Cientista vem promovendo oficinas ministradas por educadores da Fundação Roberto Marinho, nos estados do Norte, na Paraíba, em Pernambuco, em Sergipe, no Piauí e no Rio de Janeiro. Os docentes que quiserem participar das oficinas devem entrar em contato com as Secretarias de Educação, informando o nome da escola onde lecionam, o número de alunos da sua turma e a disciplina na qual o tema será trabalhado. Mais informações sobre as oficinas e a agenda dos encontros podem ser solicitadas pelo e-mail jovemcientista@frm.org.br.

Histórico

O Prêmio Jovem Cientista foi criado em 1981 com o objetivo de incentivar a pesquisa no Brasil e é considerado pela comunidade científica uma das mais importantes premiações do gênero na América Latina. A entrega da premiação é feita pelo presidente da República em exercício e reúne na cerimônia autoridades governamentais da área da ciência e tecnologia, além dos mais respeitados nomes da ciência brasileira.

Os temas escolhidos são sempre de interesse direto da população e buscam soluções simples e acessíveis para problemas encontrados em seu cotidiano. Entre os assuntos abordados em anos anteriores estão “Saúde da população e controle de endemias", "Oceanos: fonte de alimentos", “Saúde da População – controle da infecção hospitalar” e “Educação para reduzir as desigualdades sociais”. No ano passado, com o tema “Energia e Meio Ambiente – soluções para o futuro”, o prêmio recebeu 2.158 inscrições de todo o país, sendo 158 na categoria Graduado; 75 na categoria Estudante do Ensino Superior e 1.925 na categoria Estudante do Ensino Médio. (Fonte: Assessoria de Imprensa)

Professor espanhol dará palestra em Londrina

Neste sábado (09/07) será realizada a palestra “A importância da Meditação na Educação”, às 9 horas, no Auditório da Infraero (Aeroporto de Londrina). A palestra será ministrada pelo professor espanhol Joan Roura e a entrada é gratuita.

Joan Roura é professor qualificado de Meditação Transcendental, perito em Conhecimento Total, com foco principal nas áreas de fí­sica e consciência. Suas áreas de interesse e trabalho são direcionados para aplicações na educação, saúde, psicologia, sociologia e desenvolvimento corporativo.

Mais informações sobre o professor Joan Roura:

Pratica Meditação Transcendental de Maharishi Mahesh Iogui desde 1975;
­sico teórico, com especialidade em Teoria Quântica de Campos e Teoria Geral da Relatividade de Einstein, Universidade de Barcelona, 1978;
Professor de Meditação Transcendental, 1979;
Doutor em Ciência Polí­tica, pela MERU, Holanda-Suíça, 2006.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Viagem da ABRUEM repercute em Portugal


Agência UEL

Recentemente duas das instituições de ensino superior (IES) visitadas pela delegação da Associação Brasileira de Universidade Estaduais e Municipais (ABRUEM), publicaram em suas páginas um registro sobre a passagem da comitiva pela universidade. Esse fato mostra que as visitas técnicas realizadas pela Missão Internacional da ABRUEM, em Portugal, ainda causam repercussão nas IES do país lusitano.

A crônica divulgada pela Universidade Técnica de Lisboa (UTL) ressalta o papel da ABRUEM no fortalecimento do ensino superior no Brasil e conta com uma galeria de fotos, tiradas durante a reunião entre os reitores.

Já a Universidade Nova de Lisboa (NOVA) foca nos acordos de cooperação assinados entre os integrantes da delegação e o reitor da NOVA, Antonio Rendas.

Antes destas duas IES, a Universidade do Porto (UP) já havia divulgado uma nota comentando que os reitores da ABRUEM fariam uma visita às instalações da UP. Durante a estada, em Portugal, entre os dias 5 e 1 8 de junho, a delegação de reitores da associação passou pelas cidades de Vila Real, Braga, Bragança, Porto, Aveiro, Coimbra e Lisboa.

A reitora da UEL, professora Nádina Aparecida Moreno e a pró-reitora de Extensão, Cristianne Cordeiro integraram a comitiva da ABRUEM.

Confira os links das universidades que publicaram material sobre a visita da associação:

Universidade do Porto http://sigarra.up.pt/uptest_new/noticias_geral

Universidade Nova de Lisboa http://www.unl.pt/noticia/visita-da-delegacaoda-abruem-a-nova

Universidade Técnica de Lisboa http://www.utl.pt/pagina.php?area=768¬icia