sábado, 28 de janeiro de 2012

Povoado em Buriticupu ganha dia exclusivo de ações do Projeto Rondon


Do Maranhão / Guilherme Santana

O povoado de Segundo Núcleo, pertencente a Buriticupu, recebe neste sábado, dia 28, a partir das 9h, ações dos estudantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e da Universidade Federal de Viçosa (UFV). A programação do Projeto Rondon neste dia será dedicada às necessidades do local, onde estão planejadas atividades distribuídas em cerca de 30 temas, para as mais de 1200 famílias.

A operação contará com um mutirão da saúde, que deve atrair o público para as palestras sobre ginástica terapêutica, DST e AIDS, diabetes e hipertensão, saúde bucal e avaliações nutricionais. Ainda dentro do tema dos cuidados com o corpo, será ministrada uma oficina sobre danças corais, que trabalham com coreografias acessíveis para quem não possui experiência.

Durante o dia será trabalhado a participação popular nos Conselhos Municipais, os direitos das mulheres quando se trata da violência doméstica e o direito dos idosos. Entram em discussão também o planejamento familiar e métodos para prevenção da gravidez de adolescentes e adultos.

Outros temas que compõe a programação são as oficinas de rádio comunitária e a possibilidade da instalação de uma rádio itinerante; a de padaria artesanal, que irá capacitar os interessados na produção de pães como fonte de renda; e ainda, a oficina de culinária com receitas mais saudáveis, como o brigadeiro de mandioca.

A área Ambiental se responsabilizará pelo tratamento da água, gerenciamento de resíduos, oficina prática de papel reciclável, e fertilização das hortas com a compostagem. Os produtores rurais da região receberão palestras quanto à construção de fossas sépticas econômicas, manutenção e conservação do solo, doenças transmitidas por produtos de origem animal, alternativas nutricionais para o gado e boas práticas de ordenha.

Enquanto os pais e os avós participam das oficinas, as crianças receberão atividade sobre conscientização ambiental com gincanas, apresentação de filmes, e confecção de brinquedos com material reciclável. A programação infantil segue ainda com oficinas de xadrez, atividades físicas e ações na área da saúde.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Fotos de Buriticupu (MA)

A equipe da UEL está a todo vapor na Operação Babaçu, em Buriticupu.
Veja algumas fotos da primeira semana de trabalho:


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Operação Babaçu atende produtores rurais em Buriticupu


Do Maranhão / Guilherme Santana

As comunidades produtoras de leite em Buriticupu (MA) estão ganhando um reforço essa semana. Os rondonistas das Ciências Agrárias e Biológicas estão abordando na zona rural as boas práticas de ordenha, o tratamento biológico da água e o manejo e conservação do solo e da pastagem.

Durante a Operação Babaçu o grupo formado por estudantes de Biologia, Medicina Veterinária e Agronomia atenderão cerca de trinta comunidades rurais desenvolvendo oficinas e palestras sobre a qualidade da produção de leite, manejo e conservação do solo e pragas na pastagem. As visitas acontecem todos os dias e atraem os assentados próximos aos locais da ação, aumentando ainda mais o público atendido.

Outro foco abordado é a gestão hídrica e qualidade da água na propriedade rural (caixas d’água, poços, rios, cisternas, entre outros), a conscientização ambiental, as doenças transmitidas pela água e o tratamento artesanal. Faz parte da ação também a distribuição de materiais didáticos para que os produtores rurais possam aplicar em suas propriedades a maneira mais ecológica de revitalizar a água.

Esta ação conta ainda com o apoio da Secretaria de Agricultura de Buriticupu e as professoras da Medicina Veterinária da UEL Roberta Freire e Vanerli Beloti, que cederam o material para o desenvolvimento das oficinas com as comunidades produtoras de leite. A Operação Babaçu em Buriticupu é realizada pelas equipes da UEL e da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Foto: Bruna Seco


Conheça a equipe da UEL que está trabalhando na Operação Babaçu

Bruna Mara Silva Seco, 22, Ciências Biológicas



Bruna leva quatro oficinas, duas serão para crianças e outras duas para trabalhar com horta e operação de gerenciamento de água.

“Eu acho que o maior desafio vai ser passar o que eu aprendi de uma maneira que eles compreendam, além do contato com uma cultura diferente”







Guilherme Pietro Rizato Santana, 22, Comunicação Social – Jornalismo



Guilherme leva oficinas que contribuam para a inclusão digital, maneiras alternativas de criar meios de Comunicação (como blogs, Rádio Comunitária e WebTV), e a implementação de uma rádio itinerante.

“Espero que aquilo que seja ensinado na Operação, permaneça na comunidade, que eles possam dar continuidade ao trabalho iniciado pelo Projeto”





José Carlos Ribeiro Júnior, 21, Medicina Veterinária

José Carlos leva materiais oferecidos pelo laboratório da UEL sobre a qualidade do leite. Pretende desenvolver oficinas e palestras sobre as boas práticas de ordenha para uma produção de qualidade. Espera ensinar sobre a qualidade da água e saneamento de resíduos sólidos em propriedade rural e também trabalhar com a conscientização das doenças transmitidas por alimentos de origem animal.


“Eu quero usar o meu conhecimento para mudar a vida de alguém, então o Projeto Rondon me permite aplicar o conhecimento adquirido dentro da sala de aula na parte prática”



Lívia Maria Tavares Fontana, 23, Engenharia Civil



Lívia pretende construir uma fossa séptica no local, tentar trabalhar com cisternas e levar materiais de aquecedor e iluminação solar, também pretende montar um secador solar para frutas.

“É pra vida toda! O envolvimento com a comunidade e o trabalho prático para uma população carente, além de ser gratificante, te ensina a trabalhar com o mínimo que te oferecem"





Maria Natalina Almeida, 29, Geografia




Maria Natalina pretende desenvolver um trabalho direcionado às crianças com foco na educação ambiental através do teatro, desenhos e fabricação de bonecos com material reciclado.


“Espero aprender muita coisa com eles, assim como nós, que levamos os projetos na tentativa de acrescentar algum conhecimento”






Patrícia Andrade Garcia, 22, Serviço Social



Patrícia leva o seu conhecimento na área do Serviço Social para as oficinas e palestras, levando materiais mais práticos como slides e vídeos. O foco está na elaboração de projetos de fomento e o trabalho com os direitos da mulher.

“Eu acredito que seja uma troca de conhecimento, ir até um local, vivenciar outra realidade e outra cultura, é incrível, é uma oportunidade única!”







Rosalba Adriane da Rosa, 37, Geografia



Rosalba pretende trabalhar com uma padaria artesanal voltada para o desenvolvimento e agregação de renda ao compartilhar o conhecimento em gerenciamento de resíduos.


“Espero dividir o conhecimento, contribuir o máximo com o pouco de tempo que temos para que o trabalho continue e possa mudar a vida da comunidade”





VinádioLucas Béga, 27, Agronomia



Vinádio já participou de vários Projetos de Extensão da UEL e leva a sua experiência para as oficinas que planejou.

“Éo mesmo país, mas outra cultura. A gente vai ter que aprender a adequar o que aprendemos na universidade à realidade deles, tornar prático para eles”







Coordenadoras:

Carmen Lucia Scortecci Hilst
Carmen Lucia Scortecci Hilst e Cristiane de Conti Medina, do Centro de Ciências Agrárias, são as duas docentes, que já conhecem bem o Projeto, e que viajaram com os alunos da UEL selecionados para essa Operação.

São elas que ficaram responsáveis pelo procedimento da inclusão da UEL no Projeto Rondon. O Ministério da Defesa abre o edital com as cidades selecionadas para desenvolver as ações, em seguida, as professoras montaram sua proposta de trabalho para as cidades listadas. A aprovação da proposta é dada pelo Ministério da Defesa, que decide se o projeto é aprovado e para qual cidade ele será encaminhado. Assim, as áreas e cursos que irão participar são definidos de acordo com as decisões do Ministério da Defesa.


Cristiane de Conti Medina
Antes da escolha da equipe, uma das professoras coordenadoras vai até o local averiguar as necessidades da comunidade, é a viagem precursora. Assim, de acordo com o diagnóstico, os alunos selecionados devem se encaixar na ação definida pelo Ministério da Defesa, nas áreas de conhecimento ligadas às necessidades da região. Outros critérios usados na seleção de alunos é a experiência com projetos de extensão e estar no último ou penúltimo ano do curso. “Nós temos pouco tempo para preparar as oficinas, palestras e os materiais que vamos levar, por isso é preferível que o aluno já tenha essa experiência em extensão, que saiba conversar com a comunidade e compartilhar seu conhecimento com ela”, explica Medina.

----------------------------------


Obs

Curtas


1 - A primeira ação em Buriticupu foi a divulgação da chegada do Projeto Rondon na cidade. Foram distribuídos panfletos na região central para comunicar quais os temas que serão abordados e onde procurar informações.
___________________________________________________________________


2 -Suco de açaí natural e doce de leite de Viçosa não foram as únicas coisas diferentes no alojamento dos rondonistas essa semana. O coordenador regional do Projeto Rondon Major Vial visitou a operação em Buriticupu.
____________________________________________________________________


3 - Rondonistas fecham parceria com o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) em Buriticupu. Serão ministradas oficinas de padaria artesanal, fotografia, agroecologia, veterinária, produção textual, tratamentos biológicos, horta ecológica e compostagem, higiene bucal e corporal, abordagem da violência contra as mulheres, capacitação para agentes e tecnologias sociais (fossa séptica, secador solar, aquecedor solar, entre outras).

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Projeto Rondon: A UEL na Operação Babaçu

DuasOperações já iniciaram suas atividades: a OperaçãoPai Francisco, realizada no Estado do Maranhão, do dia 20 de janeiro à 5 defevereiro e a Operação Babaçu, realizadano Estado do Maranhão e Tocantins, do dia 21 de janeiro à 6 de janeiro.

A UEL participa da Operação Babaçu, levando 8 universitários e 2 docentes àcidade de Buriticupu (MA), emancipada há apenas 15 anos, que leva o nome do riolocal. No total, esta Operação atenderá 12 municípios, levando 239 voluntários de24 Instituições de Ensino Superior de várias regiões do Brasil. As atividadesque serão desenvolvidas pelos rondonistas da UEL serão as do conjunto B,envolvendo as áreas temáticas: Comunicação, Tecnologia e Produção, MeioAmbiente e Trabalho.

Conhecendoas dificuldades da região, foram estabelecidas propostas de ações como: desenvolvera capacidade comunicativa da população; construir a história local através da comunicação;promover a capacitação em tecnologia de comunicação e informação e inclusãodigital; contribuir com a gestão de resíduos sólidos do município; ajudar naseparação de rejeitos e dos resíduos orgânicos para reciclagem e compostagem;promover ações para a recuperação de áreas degradadas como matas ciliares,entre outras identificadas; desenvolver a educação ambiental; capacitarprodutores rurais locais; capacitar produtores de gado leiteiro; proporcuidados na manipulação de agrotóxicos; orientar à produção caseira de frutas ehortaliças orgânicas; qualificar profissionais servidores municipais em gestãopública e gerenciamento de projetos; estimular a economia solidária, ocooperativismo e a geração de renda; organizar momentos de recreações e lazerna comunidade e disseminar soluções sanitárias e tecnologias sociais, quemelhorem a qualidade de vida das comunidades em assuntos emergenciais.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Rondonistas da UEL e da UFV iniciam atividades em Buriticupu, no Maranhão


Do Maranhão/Guilherme Santana


Os estudantes voluntários da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Universidade Federal de Viçosa (UFV) iniciaram nesta segunda-feira a Operação Babaçu em Buriticupu (MA). O primeiro dia na cidade tem como principal finalidade mapear a região, entrar em contato com as autoridades locais, lideranças e com a comunidade.

O prefeito de Buriticupu, Antônio Marcos de Oliveira, recebeu os rondonistas na escola José Bonifácio, QG da equipe que está preparando ações nas áreas de Saúde, Cultura, Comunicação, Direitos Humanos e Justiça, Educação, Produção, Meio Ambiente, entre outras. “O município de Buriticupu está muito feliz em recebê-los e se dispõe a ajudá-los durante toda a estadia na cidade”, afirma Oliveira.

Além do prefeito do município, estavam presentes os secretários de Assistência Social, Cultura, Trânsito, Agricultura, Meio Ambiente, Obras e Educação, entre outros representantes municipais. Os rondonistas também foram apresentados ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Conselho Tutelar, Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e a Guarda Municipal.

Outras atividades desenvolvidas pelos estudantes em Buriticupu foi a panfletagem sobre as atividades que serão realizadas pelo Projeto Rondon como forma de divulgar as ações e conhecer a comunidade local. Foram realizadas também visita ao Instituto Federal do Maranhão (IFMA), à Secretaria de Saúde, e outras localidades envolvidas na programação da Operação Babaçu.






UEL participa da primeira etapa do Projeto Rondon – Operação Babaçu em São Luís

Rondonistas com o vice-Almirante Edlander Santos e coordenador-geral do Projeto Rondon


Do Maranhão/Guilherme Santana

O Projeto Rondon cumpriu nos dias 20 e 21 de janeiro em São Luiz (MA) a primeira etapa das Operações Babaçu (na qual a UEL está inscrita no Conjunto B, desenvolvendo temas relacionados à Comunicação, Trabalho, Meio Ambiente, Tecnologia e Produção) e Pai Francisco, somando cerca de 460 rondonistas que participam das atividades coordenadas pelo Ministério da Defesa.

A recepção dos estudantes foi realizada no 24º Batalhão Barão de Caxias, coordenada pelo coronel Brito Neto com atividades culturais características da região e palestras sobre os trabalhos que serão realizados em 21 cidades. A abertura do evento contou com a participação do coordenador geral do Projeto Rondon, Almirante Edilander Santos, e toda a equipe responsável pelo projeto.

Os rondonistas da Operação Babaçu seguiram para Imperatriz, onde serão encaminhadas aos municípios de atuação. A UEL, junto com a Universidade Federal de Viçosa se dirigem a Buriticupu. O primeiro dia na cidade é destinado ao reconhecimento do território e reunião com as autoridades locais para, em seguida, iniciar as oficinas e palestras desenvolvidas pelos estudantes voluntários.

Obs: Em razão da falta de internet, postamos a notícia com dois dias de atraso.

A UEL no Projeto Rondon

A UEL participa do Projeto Rondon desde a primeira fase, antes de ser interrompido em 1989. A professora Cristiane de Conti Medina, hoje diretora daPROEX, participou do Projeto em 1984 quando ainda era aluna da Universidade.

Medina conta que a UEL tinha um Campus Avançado em Limoeiro do Norte, Ceará, em parceria com a Universidade Estadual do Ceará (UEC). “Os alunos passavam 30 dias na cidade, revezando a equipe durante o ano todo, dessa forma, o trabalho feito por uma equipe era seguido por outra, tinha continuidade”, conta Medina.

Além do trabalho no Nordeste do país, o Projeto Rondon local e regional permitia que as Universidades exercessem trabalhos na própria cidade e em outras regiões do Estado.

Como término do Projeto Rondon, em 1989, o Campus no Ceará foi extinto. A UEL voltou a participar em 2006, logo que o Projeto retornou às atividades, participando com, no mínimo, duas operações ao ano. Até hoje foram 15 operações, levando 16 equipes da Universidade a destinos diversos, passando pelo Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Pernambuco, Sergipe, Pará, Rondônia, Amazonas, Amapá e Acre.

Noinício deste ano, serão mais duas operações em andamento. A UEL serárepresentada em uma delas, levando uma equipe ao Estado do Maranhão.

Participações da UEL no Projeto Rondon:
Em 2006 – Operação Amazônia– Porto Grande (AP)
Em 2006 – Operação Amazônia– Candeias do Jamari (RO)
Em 2006 – Operação Vale do Ribeira – Adrianópolis (PR)
Em 2007 – Operação Amazônia Oriental – Vila Nova dos Martírios (MA)
Em 2007 – Operação Centenário da Comissão Rondon – Nobres (MT)
Em 2007 – Operação Centenário da Comissão Rondon – Feijó (AC)
Em 2007 – Operação Inverno –Vila Nova dos Martírios (MA)
Em 2008 – Operação Grão-Pará– Muaná (PA)
Em 2008 – Operação Vale doRibeira – Fazenda Rio Grande (PR)
Em 2009 – Operação Nordeste/Sul Rio Grande do Sul – Jaguari (RS)
Em 2010 – Operação CentroNordeste Bahia – Caem (BA)
Em 2010 – Operação CatirinaMaranhão – Bom Jardim (MA)
Em 2010 – Operação Rei doBaião Pernambuco – Belém de São Francisco (PE)
Em 2011 – Operação CarajásPará/Tocantins – Rio Maria (PA)
Em 2011 – Operação Rio dosSiris Sergipe – Santana do São Francisco (SE)
Em 2011 – Operação Peixe-Boi– Careiro da Várzea (AM)
Em 2012 – Operação Babaçu – Buriticupu(MA)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O que é o Projeto Rondon?

O Projeto Rondon foi criado em 1967, mas deixou de ser prioridade do Governo Nacional, sendo extinto em 1989. Em 2005, o projeto voltou à pauta dos programas governamentais e desde então, já levou mais de 11 mil rondonistas a cerca de 700 municípios.

Coordenado pelo Ministério da Defesa, o Projeto Rondon promove a integração social envolvendo a participação voluntária de estudantes universitários buscando soluções para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes do país, ampliando o bem estar da população.

Além disso, o projeto tem o objetivo de contribuir para a formação do universitário como cidadão, integrá-lo ao processo de desenvolvimento nacional, consolidar o sentido de responsabilidade social, coletiva, em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais e também estimulá-lo à produção de projetos coletivos locais em parceria com as comunidades assistidas.

As áreas de atuação são aquelas com maiores índices de pobreza e exclusão social e áreas isoladas, que necessitem de maior aporte de bens e serviços. Por essa razão, são priorizadas as regiões do norte e nordeste do país.

O projeto é distribuído em oito Áreas Temáticas (Comunicação, Cultura, Direitos Humanos e Justiça, Educação, Meio Ambiente, Saúde, Tecnologia e Produção, Trabalho), que fundamentam as políticas extensionistas das universidades públicas brasileiras.

O nome do projeto é uma homenagem à Marechal Cândido Rondon, que entrou para a história como patrono das comunicações. Rondon abriu caminhos, desbravando terras, lançando linhas telegráficas, fazendo mapeamentos e estabelecendo relações com os índios.

O projeto tem o apoio das Forças Armadas, conta com a colaboração dos governos estaduais, das prefeituras municipais e das empresas socialmente responsáveis.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Rondonistas da UEL voam para o Maranhão

Agência UEL

Equipe da UEL aguardando o embarque no aeroporto de Londrina

Oito estudantes e duas professoras da UEL embarcaram na manhã de hoje, 19, para o Maranhão. Eles integram a equipe selecionada para a primeira Operação do Projeto Rondon de 2012 que atuará na cidade maranhense de Buriticupu. Os estudantes estão acompanhados das professoras Cristiane Medina e Carmen Hilst, do Centro de Ciências Agrárias (CCA).

Eles participarão da Operação Babaçu, ação B, que tem como foco as áreas de Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho. Atenderá 12 municípios, levando 239 voluntários, de 24 instituições de ensino superior de várias regiões do Brasil. Os estudantes ministrarão oficinas, cursos e palestras para serem desenvolvidos nas comunidades a partir da semana que vem, com encerramento marcado para 6 de fevereiro.

A Operação Babaçu começará no município de Imperatriz, com o apoio do 50º Batalhão de Infantaria de Selva. Serão atendidos os municípios de Açailândia, Aguiarnópolis (TO), Amarante do Maranhão, Buriticupu, Buritirama, Estreito, Governador Edson Lobão, João Lisboa, Ribamar Fiquene, São Francisco do Brejão, São Pedro da Água Branca e Vila Nova dos Martírios.

Desta vez o Projeto Rondon atenderá 22 municípios do Maranhão e um do Tocantins. Coordenado pelo Ministério da Defesa, o Projeto Rondon tem como objetivo promover a participação voluntária de estudantes universitários em iniciativas que contribuam para o desenvolvimento sustentável das comunidades assistidas.

Equipe da UEL embarca para o Projeto Rondon

A equipe da UEL selecionada para a primeira Operação do Projeto Rondon de 2012 embarca nesta quinta-feira, 19, para Buriticupu, no Maranhão. Os estudantes terão o acompanhamento das professoras Cristiane Medina e Carmen Hilst, do CCA.

A Operação Babaçu, ação B, tem como foco as áreas de Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho e atenderá 12 municípios, levando 239 voluntários, de 24 Instituições de Ensino Superior de várias regiões do Brasil.

O objetivo é desenvolver atividades que contribuam para o desenvolvimento sustentável da comunidade e ampliação do bem estar da população. Ações como educação ambiental, capacitação de produtores rurais, estímulo à economia solidária, construção de fossas sépticas e implantação de rede de tratamento de água na comunidade estão entre as propostas da equipe da UEL.

A equipe da UEL é formada pelos estudantes Bruna Mara Silva Seco, de Ciências Biológicas; Guilherme Pietro Rizato Santana, de Comunicação Social – Jornalismo; José Carlos Ribeiro Júnior, de Medicina Veterinária; Lívia Maria Tavares Fontana, de Engenharia Civil; Maria Natalina Almeida e Rosalba Adriane da Rosa, de Geografia; Patrícia Andrade Garcia, de Serviço Social; e Vinádio Lucas Béga, de Agronomia. Eles preparam oficinas, cursos e palestras para serem desenvolvidos nas comunidades.

A Operação Babaçu terá início no dia 21 de janeiro com término em 6 de fevereiro, em conjunto com a Operação Pai Francisco, também no Maranhão.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Projeto de Extensão contribui com festa que distribuiu mais de mil brinquedos a crianças do Vista Bela

Foi realizada, no dia 23 de dezembro, a tarde festiva da campanha “Londrina Abraça Vista Bela”. O evento, organizado por Maria Luiza e Marcelo Casanova, em parceria com o Instituto A.Yoshii, contou com a ajuda de voluntários e cumpriu com o objetivo ao distribuir 1350 kits de brinquedos a centenas de crianças do bairro.

A organização contou também com a ajuda de crianças e adolescentes, de 10 a 14 anos, atendidas pelo projeto de extensão “Ações multidisciplinares para estruturação familiar e inclusão social em bairros pobres do município de Londrina”, desenvolvido pela UEL e coordenado pela professora Maria Luiza Marinho Casanova, do Departamento de Psicologia Geral e Análise do Comportamento, do CCB.

O projeto realiza ações para inclusão social das crianças moradoras em bairros de risco como Monte Cristo, Santa Fé e Marabá. O grupo fez o cadastramento das crianças moradoras do Vista Bela que participaram da festa, recolheu doações e monitorou algumas atividades de recreação na tarde da comemoração.

Resultado de uma boa campanha, na festa organizada no residencial Vista Bela, também foram servidos refrigerantes, sorvetes, doces, frutas e água. As crianças também puderam se divertir com as 10 camas elásticas instaladas no local. Marcelo Casanova, um dos organizadores, disse que a intenção era tornar visíveis as necessidades dos moradores, principalmente crianças, de bairros mais afastados. “A gente tem o objetivo de mostrar pra Londrina que o Vista Bela existe, que é uma criança, que é um filho da cidade”, afirmou.

Além da UEL e do Instituto A.Yoshii, várias empresas e instituições ajudaram: A.Yoshii engenharia, Consórcio União, SESC, voluntariado da Receita Federal, Editel, Sonkey, Musamar e 100% Vídeo.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Revista Educação Gráfica da UNESP recebe artigos acadêmicos

O Departamento de Artes e Representação Gráfica da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da UNESP, Campus Bauru, está recebendo artigos para o Vol.16 n° 01 da revista Educação Gráfica.
O periódico semestral tem por objetivo a divulgação das reflexões, relatos, resumos de pesquisas e experiências relacionadas com Expressão e Representação Gráficas nas suas mais variadas aplicações. A Educação Gráfica conta com Comitê Científico composto por Pareceristas de instituições de ensino de várias regiões do país e está aberta à participação de pesquisadores docentes, discentes e profissionais interessados em discutir os diversos aspectos que envolvem a expressão gráfica.
Os interessados em publicar seus artigos poderão encaminhar seus trabalhos, com as normas editoriais e modelo.dot, até 24 de fevereiro de 2012 através do site:

http://www.educacaografica.inf.br/