terça-feira, 31 de julho de 2012

Lição de vida e de cidadania: Chega ao fim a Operação Capim Dourado

Rondonistas despediram-se de Tocantins depois de duas semanas de trabalho voluntário

Em cerimônia realizada no Palácio Araguaia, sede do governo de Tocantins, rondonistas da UEL e de todo o Brasil se despediram da experiência como parte da equipe do Projeto Rondon. Foram dezessete dias de viagem, treze deles no município de Marianópolis do Tocantins, realizando trabalho voluntário junto à população da cidade.

Nos dias passados na pequena cidade de 4.352 habitantes (segundo dados do IBGE), os rondonistas tiveram a oportunidade de vivenciar a realidade do interior da região Norte, ver as dificuldades e os privilégios de uma população bem brasileira.

Além da oportunidade de ministrar palestras e oficinas em suas áreas de estudo - o que proporcionou a toda a equipe uma rica experiência profissional -, a mais doce recompensa ganha com as atividades exercidas foi o contato com as pessoas, as conversas, o riso das crianças, as histórias dos mais vividos. Foi uma viagem de personagens que ficarão para sempre na memória de cada rondonistas. Pensonagens como Matã, um garoto morador do assentamento Piracema que foi o xodó de grande parte da equipe envolvida com a recreação, e como Dona Lídia, a experiente poetisa que contagiou a todos com sua arte e seu sorriso.

Nós, rondonistas, tivemos o privilégio de enriquecer nossas memórias com todos os momentos vividos no Tocantins, a lembrança das pessoas que conhecemos e que confiaram a nós um pouco de suas histórias e se dispuseram a parar suas atividades para ouvir o que tínhamos a dizer.

A maior dificuldade enfrentada em Marianópolis foi chamar a população para participar das atividades e convencer a todos que o que tínhamos a mostrar seria para o benefício deles. Em ano de eleição, também foi difícil mostrar à população que o Projeto Rondon não estava lá para fazer política, que as atividades não tinham vínculo algum com as campanhas políticas que começavam a acontecer.

Como rondonista, posso dizer que apesar de não termos atendido as multidões que muitos de nós sonhávamos em poder alcançar, os rostos das pessoas e o saber que pudemos ser úteis mesmo para os pequenos grupos que estiveram presentes nas atividades foi a grande recompensa do Projeto Rondon para nossas vidas. Só temos a agradecer pela oportunidade que nos foi dada, agradecer à população de Marianópolis por tão bem ter nos recebido, aos amigos da Universidade Metodista de São Paulo pela parceria na realização das atividades, aos militares do 22º Batalhão de Infantaria pela recepção e a organização em nos receber.

O Projeto Rondon trouxe para nossas vidas um crescimento impossível de expressar em palavras. Esperamos que os textos e fotos publicados por nós durante a viagem, assim como nossos relatos, inspirem muitos outros alunos da UEL e de todo o Brasil a buscar nesse Projeto um crescimento pessoal. Valeu a pena! E, como dizia a grito de guerra que nossa equipe criou para apresentar na cerimônia de encerramento: “Para sempre no coração. Isso é Rondon”.



Mariana Mortari
3º ano de Comunicação Social – Jornalismo – UEL
Rondonista da UEL em Marianópolis do Tocantins

quinta-feira, 26 de julho de 2012

UEL é vice-campeã dos Jogos Universitários do Paraná

Com 131 pontos, a Universidade ficou atrás apenas da UEM, campeã com 156 pontos


O JUPS, Jogos Universitários do Paraná, terminou na última quarta-feira (25) e deu a medalha de prata à UEL, que marcou 131 pontos. Ao todo 25 instituições de ensino superior e 918 atletas participaram dos jogos e, além de integração, buscaram classificação para as Olimpíadas Universitárias.

A delegação da UEL levou 113 pessoas à Apucarana, onde os jogos foram realizados. O dirigente da delegação, Prof. Ariobaldo Frisseli (Dedé), Assessor de Esportes da UEL e docente do Centro de Educação Física e Esportes da UEL, avaliou o vice-campeonato como um bom resultado, já que grande parte dos alunos já tinha compromissos assumidos para o mês de agosto. Dedé ainda lembrou, em entrevista ao Jornal de Londrina, o apoio junto à Proex, “O que está motivando é a criação de uma Assessoria de Esportes, vinculada à Pró-Reitoria de Extensão, que abriu as perspectivas e mantém várias equipes treinando sistematicamente no Centro de Educação Física”, disse Dedé.

Com 3° lugar no handebol masculino, 2° nas modalidades vôlei masculino e feminino, 3° no basquete masculino e 1º no tênis de mesa, a UEL ficou atrás apenas da Universidade Estadual de Maringá (UEM), que obteve 156 pontos e garantiu o primeiro lugar do pódio.

Na classificação geral, a Federal de Curitiba ficou em terceiro lugar, com 119 pontos, seguida do Cesumar, de Maringá, que ficou em quarto com 65 pontos. O quinto lugar foi para a FAFIPA, de Paranavaí, com 54. Em sexto, a UEPG, de Ponta Grossa, com 42. Em sétimo, Unioeste, de Cascavel, com 40. Em oitavo, Unipar, de Cianorte com 30 pontos. O nono lugar foi para a UTFPR, de Pato Branco, com 29 e em décimo, a UniCentro, de Guarapuava, também com 29.

Agora os atletas da UEL se preparam para a Copa Unisinos, na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo (RS), que será no período de 24 a 27 de setembro e reúne universidades brasileiras e da América Latina.


A UEL ainda recebeu troféu pela melhor torcida do JUPS 2012

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Rondonistas da UEL realizam palestras e visitas domiciliares na primeira semana de atividades

Juntamente com equipe da Universidade Metodista de São Paulo, alunos desenvolveram diversas atividades para instruir a população de Marianópolis do Tocantins


Encerrou-se a primeira semana de ações da Operação Capim Dourado. Depois de muito trabalho, a equipe tirou a tarde do domingo para confraternizar e discutir sobre o que foi e o que não foi possível durante a realização das atividades da semana, já refletindo sobre a abordagem a ser utilizada na segunda metade da operação.

A dificuldade de atrair a população de Marianópolis do Tocantins para as palestras e oficinas tem sido o grande desafio da equipe. Durante a semana, cerca de cinco vinhetas de divulgação - produzidas pelas estudantes de Comunicação Social do grupo - foram veiculadas ao principal meio de informação da cidade: os carros de som.

Nas oficinas realizadas, os moradores puderam aprender formas de aproveitar melhor os alimentos e evitar desperdícios, estratégias administrativas para otimizar os negócios e controlar custos, postura correta ao utilizar a internet, destino certo de lixo e resíduos, noções de saúde bucal e vários outros assuntos de interesse e importância para a realidade local.

Confira o que cada rondonista da equipe da UEL realizou nessa etapa do projeto:

Aline de Oliveira – Geografia: trabalhou com recreação e conscientização das crianças e jovens em relação aos cuidados com o meio ambiente através de atividades interativas, pinturas, desenhos e bate-papos.

Daiani Braga – Administração: realizou oficinas nas áreas de educação, capacitação de professores, economia e administração e também auxiliou na recreação e conscientização das crianças e na divulgação das atividades.
Débora Fonseca – Agronomia: visitou propriedades rurais instruindo os produtores nos assuntos relacionados ao plantio de frutas e verduras, realizou oficinas sobre hortas domésticas e compostagem segundo instrução do professor Efraim Rodrigues Ph.D. (CCA). Também auxiliou na recreação das crianças por meio de atividades lúdicas.

Fabiano Bueno – Química: realizou teste de qualidade de água em diversos pontos da cidade de acordo com instruções dadas pela prof. Dra. Jacinta Sanchez Pelayo (CCB) e aluna Bruna Secco (Biologia), atuou juntamente com as crianças em atividades lúdicas, auxiliou em oficinas de saúde bucal e conscientização quanto às drogas. Também apresentou palestras sobre lixo e resíduos usando material elaborado segundo orientação dos professores Dra. Sonia Maria Nobre Gimenez (CCE) e Dr. João Carlos Alves (CCE).

Juliana Carraro – Administração: atendeu em suas oficinas o público ligado ao comércio local e a comunidade em geral, abordando temas como empreendedorismo, controle de custos, economia pessoal, associações e cooperativas e técnicas de venda.

Mariana Mortari – Comunicação Social - Jornalismo: conscientizou o público mais jovem em relação aos bons modos, postura e cuidados ao utilizar a internet e instigou a vontade de aprender um segundo idioma em atividade interativa utilizando a língua inglesa, além de fazer a cobertura e divulgação das demais atividades da equipe.

Ronan Colombo – Agronomia: visitou propriedades rurais, conversando com os produtores e auxiliando nas áreas de agricultura e pecuária, utilizando o material preparado de uma forma mais focada aos problemas encontrados durante os atendimentos pessoais. Também trabalhou com oficina de horta doméstica.

Viviane Saporiti – Medicina Veterinária: Realizou visitas em propriedades de produtores de leite instruindo sobre boas práticas na ordenha e doenças que afetam o leite segundo auxílio do aluno José Carlos Ribeiro (Med. Veterinária) e instrução da Prof. Dra. Carmen Hilst (CCA). Também participou de oficina sobre doenças endêmicas, na qual instruiu a população sobre os perigos da Leishmaniose utilizando instrução da prof. Dra. Roberta Lemos Freire (CCA).


Mariana Mortari
3º ano de Comunicação Social – Jornalismo – UEL
Equipe do Projeto Rondon em Marianópolis do Tocantins - TO



quinta-feira, 19 de julho de 2012

UEL participa dos Jogos Universitários Paranaenses – JUPS 2012 na Cidade de Apucarana – Pr

Nesta quinta feira, 19, a delegação de alunos da Universidade Estadual de Londrina parte para a cidade de Apucarana – Pr, onde participará dos Jogos Universitários Paranaenses – JUPS – 2012.

Os JUPS são promovidos, organizados e dirigidos pela parceria entre a Secretaria de Estado do Esportes – SEES e Federação Paranaense de Desportos Universitários – FPDU, com a finalidade de desenvolver e estimular as práticas esportivas no meio universitário,  congregar os estudantes paranaenses pelo intercâmbio social e esportivo, e constituir-se, também, como ambiente de desenvolvimento do esporte rendimento no Estado do Paraná.

A Delegação da UEL participa com 120 atletas nas modalidades de futsal, basquete, atletismo, judô, handebol, voleibol, natação e tênis de mesa, nas categorias masculino e feminino. Os dirigentes Ire Nunes Miguel, Gustavo Damasceno, Luiz Todeschini, Thayran Makelton, Murilo Potier, Daniel Luiz Gerônimo, Angélica Duarte, acompanham a delegação e a coordenação geral estará a cargo do Prof. Ariobaldo Frisselli – docente lotado no Centro de Educação e Assessor de Esportes da UEL/PROEX.



Ações dos estudantes da UEL no Projeto Rondon começam no Tocantins

As atividades aconteceram na Zona Rural de Marianópolis do Tocantins e reuniram produtores, trabalhadores, crianças e jovens

A equipe do Projeto Rondon em Marianópolis do Tocantins encerrou na tarde do dia 18 as ações no assentamento Piracema, na Zona Rural da cidade. Foi a primeira localidade a receber as atividades do grupo.

Enfrentando o forte calor de aproximadamente 35ºC, a equipe – formada por estudantes da Universidade Estadual de Londrina e da Universidade Metodista de São Paulo – visitou algumas propriedades, observando os problemas enfrentados pelos produtores e pela população em geral. Devido ao afastamento de grande parte das propriedades em relação à vila, algumas oficinas foram tiradas de seu formato e transformadas em uma conversa instrutiva com os moradores.

As crianças foram uma experiência diferenciada. Toda a equipe se envolveu em atividades recreativas e educativas. E ver os sorrisos dessa parte da população foi uma das melhores recompensas.

Na Zona Urbana de Marianópolis, os cartazes espalhados na avenida comercial da cidade anunciam as atividades que se iniciam amanhã pela manhã. A divulgação foi realizada por meio de vinheta, produzida pela equipe, que circulou pelas ruas no carro de som utilizado para os informes oficiais. O grupo também caminhou pela cidade em diversas oportunidades para conhecer um pouco da população, seus problemas e suas histórias e informá-los da gama de palestras e oficinas que acontecerão por aqui.



Mariana Mortari
3º ano de Comunicação Social – Jornalismo – UEL
Equipe do Projeto Rondon em Marianópolis do Tocantins


quarta-feira, 18 de julho de 2012

Diretoria de Extensão de Maringá recebe trabalhos para o 10° Fórum de Extensão e Cultura da UEM


A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Estadual de Maringá (UEM), promove o “10° Fórum de Extensão e Cultura da UEM: A Extensão e o Desenvolvimento Regional”, que será realizado do dia 01 a 03 de agosto, entre 8h e 20h30, no Campus da UEM.

O Fórum pretende promover o intercâmbio de saberes produzido na UEM e região por meio das ações extensionistas; propiciar um espaço de reflexão e elaboração de propostas extensionistas de caráter multidisciplinar e divulgar as ações de extensão.

Pela primeira vez, será realizado um concurso de trabalhos em comemoração ao 10° Fórum, será premiado o primeiro trabalho de cada área temática em dinheiro, os 2°, 3° e 4° lugares com um aparelho de DVD.

Os interessados podem participar apresentando trabalhos, concorrendo ao concurso ou na qualidade de ouvinte.  Os trabalhos e as fichas de inscrição podem ser enviados para o e-mail jmremor@uem.br ou waavila@gmail.com. Para participar do concurso, deve-se seguir as instruções que estão disponíveis no endereço: http://www.dex.uem.br/forum/. O pagamento poderá ser feito no dia do evento.

Mais informações pelo telefone (44) 3011 – 3797. 

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Conheça a Equipe da UEL que está trabalhando na Operação Capim Dourado

Oito alunos e duas professoras. A equipe de rondonistas da UEL já foi para a Operação Capim Dourado, em Marianópolis do Tocantins. Veja quem são e quais são as propostas de trabalho.


Juliana Carraro Yokokawa, 20 anos. Administração – 3º ano

Juliana vai apresentar palestras sobre Cooperativismo e Economia solidária para a comunidade, além de conversar com responsáveis pela administração pública, buscando assuntos sobre conscientização, corrupção e princípios do gestor público. A estudante também pretende mobilizar a comunidade para reerguer uma cooperativa desativada na região.

“Pretendo mobilizar as pessoas pra fazer dar certo, porque como o tempo lá é pequeno, não vai dar pra mudar muita coisa, então vamos ter que implantar neles essa vontade de mudar”.



Aline de Oliveira da Costa, 21 anos. Geografia – 4º ano

A estudante de Geografia disse que sempre teve vontade de participar do projeto e agora foi selecionada para essa ação. Pretende trabalhar com o manejo e recuperação de mata ciliar, lixo e reciclagem, além de estimular a criação do conselho do meio ambiente, que ainda não existe na região.

“A gente vai tentar passar alguma informação, porque é uma cidade isolada, lá as pessoas não têm tanto acesso aos meios de comunicação como aqui, então espero que eles consigam absorver o que estamos levando”.




Débora Fonseca Chagas, 22 anos. Agronomia – 5º ano

Débora sempre teve interesse por atividades extensionistas, portanto, o Projeto Rondon seria uma ótima oportunidade de praticar o que aprendeu na sala de aula. A estudante está levando oficinas de compostagem e produção de hortas como geradora de renda, incentivando a alimentação saudável.


“Espera que a comunidade se interesse para poder funcionar, porque as atividades são muito simples, não é nada muito complicado de fazer, nós nos preocupamos em adequar com a realidade deles”.




Daiani Braga, 20 anos. Administração – 4º ano

Ansiosa foi a palavra que a Daiani usou para definir seu estado emocional antes de viajar para o Projeto Rondon. A aluna preparou oficinas sobre inclusão digital, com produção de blogs e ensino de Excel e Word. Também pretende trabalhar na área da educação, apresentando os portais do MEC e sites educativos aos professores da região.

“Essa é a oportunidade de levar o que eu sei, o que conheço, a nossa cultura, se envolver e qualificar. Espero que eu possa levar algo que seja prático à vida deles e, assim, tentar melhorar a educação e o acesso à informação”.





Mariana Tamião Mortari, 19 anos, Comunicação Social – Jornalismo – 3º ano

Mariana sempre se interessou por atividades que incluem o serviço social. Encontrou no projeto a oportunidade de fazer o que gosta, acrescentando o crescimento profissional e pessoal, atendendo uma população carente. A estudante está levando oficinas de linguagem para rádio, que possa ser útil no sistema de carro de som, muito utilizado por eles; pretende aplicar seus conhecimentos na produção de textos e pronúncia no rádio; além da parceria com a Daiani Braga na oficina de blogs. Como é formada em inglês, Mariana levará atividades de música na língua inglesa para adolescentes. Ela também contribuirá com a divulgação do projeto neste blog.

“Eu acredito que vai ser um crescimento pessoal muito grande pela possibilidade de ter um contato com uma região de cultura diferente que talvez eu nunca teria se não fosse pelo Projeto Rondon. Para a comunidade também é um contato diferente pela cultura que estamos levando pra lá. É uma troca de crescimento”.


Ronan Carlos Colombo, 22 anos, Agronomia – 5º ano.

Suplente em outra operação, Ronan agora foi selecionado para integrar a equipe do Rondon da UEL. O aluno está levando palestras relacionadas a solos, fertilidade e manejo; fruticultura, colheita, pós-colheita e processamento de frutas (suco); viveiros florestais; processamento de leite e alimentação animal.

“Acredito que o Projeto Rondon vai proporcionar primeiramente a experiência pessoal, porque vamos lidar com pessoas de culturas diferentes. A experiência também vale para a parte profissional, pois você fica quatro... cinco... anos na faculdade, na sala de aula, essa é a oportunidade de aplicar o que aprendeu. Espero que eles acatem alguma idéia”.



Fabiano Bueno Silva, 22 anos. Química – 3º ano

Fabiano acredita que o Projeto abrange o olhar para quem vai, deixando de focar só para a nossa região. Ele pretende falar sobre resíduos sólidos, ver a qualidade da água através da análise bacteriológica, além de contribuir com outras oficinas sobre o leite, lavagem de aparelhos e educação ambiental com as crianças.

“Espero que tudo que estou preparando e tudo que aprendi na faculdade, até agora, possam ajudar a comunidade local. A minha expectativa é, sem dúvida, poder contribuir com a realidade deles de alguma forma, lembrando que o que parece simples pra gente, pode ser de muita serventia para eles”.



Viviane Saporiti, 23 anos. Medicina Veterinária – 4º ano

Viviane decidiu se inscrever porque de acordo com ela “todo mundo que vai, fala muito bem do projeto!” E como sempre teve interesse por essa atividade de extensão, encontrou a oportunidade que queria. Ela está levando oficina de boas práticas de manejo de leite; trabalho com a água (cloração das caixas e poços); conversar sobre a leishmaniose e natalidade de bezerros; falar sobre as doenças vinculadas com leite e carne e pretende ensinar a produção de queijo, como apoio na renda das famílias.

“Vai ser uma experiência de vida, ainda mais por se tratar de um lugar que tem uma realidade muito diferente da nossa, acredito que o pouco que a gente puder ajudar, já vai ser bastante. Eu pretendo fazer diferença”.



As professoras Solange de Paula Ramos, do CCB e Rosely Maria de Lima, do CCE, participam do Projeto Integra – Ações interdisciplinares na promoção da cidadania com grupos sociais vulneráveis - que tem uma proposta muito parecida com a do Rondon, voltada pra região de Londrina. Essa participação no projeto, além do que já ouviram falar do Rondon, despertou o interesse nas professoras em coordenar uma equipe.

Com a proposta de trabalho selecionado pelo Ministério da Defesa, a professora Rosely fez a viagem precursora para conhecer a cidade de Marianópolis do Tocantins, para onde a UEL foi selecionada. Essa viagem proporcionou uma avaliação da região que pesquisas não alcançariam, com a ida foi possível enxergar a real situação do município e dos habitantes.

Feito o diagnóstico, as professoras coordenaram a seleção dos alunos para integrar a equipe de acordo com as necessidades da região. Assim, em pouco menos de três meses, tiveram que auxiliar nos preparativos das atividades que serão feitas na cidade.

As duas estão animadas e reconhecem os benefícios que o projeto proporciona aos rondonistas. “O Rondon traz grandes benefícios para o aluno. Conhecer o Brasil é um deles. Uma coisa é ouvir falar, outra é poder olhar, ter contato com a população, ter contato com pessoas mais simples, perder o medo”, afirmou Rosely.

A professora Solange acredita que é um crescimento não só para os alunos, mas para os docentes também. Ela afirma que o seu papel é preparar os alunos para enfrentar diversas situações que enfrentariam no campo de trabalho, os projetos de extensão, como o Rondon, ajudam nesse desafio, pois o aluno passa a conhecer e entender diferentes realidades, levando a transformação da comunidade.

A equipe saiu nessa sexta-feira, 13, e passaram por São Paulo, Brasília até chegar em Palmas onde encontraram o apoio do 22º Batalhão de Infantaria (BI), responsável pelo transporte, segurança, alimentação e hospedagem dos rondonistas durante as atividades. Em Palmas, puderam conhecer também a equipe da Universidade Metodista de São Paulo, que irá atuar em parceria com a UEL.





Primeiro Fórum de Produção Cultural em Pequenos e Médios Municípios será realizado em Maringá

Visando debater a realidade da produção cultural do interior do país, será realizado, de 07 a 11 de agosto, na cidade de Maringá, o Primeiro Fórum Nacional da Produção Cultural em Pequenos e Médios Municípios.

O Fórum tem por objetivo discutir as especificidades do setor cultural e a realidade da produção de artistas, fomentadores de cultura e instituições culturais das pequenas e médias cidades do interior do país.

O evento é uma iniciativa do Instituto Museu Memória e Vida (IMMV) juntamente com instituições culturais locais, apoiado pelo Maringá e Região Convention & Visitors Bureau, Prefeitura de Maringá, Ministério da Cultura (MinC), Secretaria de Estado de Cultura do Paraná, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, Frente Nacional de Prefeitos, Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), Centro Universitário de Maringá (Cesumar), jornal O Diário, Cineflix e Gol Linhas Aéreas.

Os detalhes do evento podem ser encontrados no site e as inscrições também podem ser feitas diretamente no endereço http://www.fpcm.com.br/?mostre=intro

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Rondonistas da UEL voam para o Tocantins


A equipe da UEL selecionada para participar da Operação Capim Dourado – ação B, do Projeto Rondon, embarcou na manhã de hoje, 13, para Marianópolis, no Tocantins. Os estudantes terão o acompanhamento de duas professoras: Solange de Paula Ramos (CCB) e Rosely Maria de Lima (CCE).

O conjunto B da operação, para qual a UEL foi selecionada, abrange as áreas de Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho. A Operação Capim Dourado atenderá 15 municípios, levando 299 rondonistas voluntários, de 30 Instituições de Ensino Superior de várias regiões do Brasil.

O objetivo é desenvolver atividades que contribuam para o desenvolvimento sustentável da comunidade e ampliação do bem estar da população. Ações como educação ambiental; incentivo à produção de hortas; explicações sobre solo, fruticultura, viveiros florestais, processamento do leite e alimentação animal; estímulo à economia solidária e adequação da administração pública estão entre as propostas da equipe da UEL.

Além das professoras que coordenam a equipe, viajaram oito alunos: Viviane Saporiti, Medicina Veterinária; Aline de Oliveira da Costa, Geografia; Ronan Carlos Colombo e Débora Fonseca Chagas, Agronomia; Daiani Braga e Juliana Carraro Yokogawa, Administração; Fabiano Bueno Silva, Química e Mariana Tamião Mortari, Comunicação Social – Jornalismo.

Os alunos prepararam oficinas, cursos e palestras para serem desenvolvidos na comunidade em conjunto com a Universidade Metodista de São Paulo. A Operação tem início no dia 13 com término no dia 29 de julho.







segunda-feira, 9 de julho de 2012

Projeto Integra vai capacitar famílias na zona rural de Mato Grosso

Agência UEL 


Ensinar técnicas agrícolas para famílias da comunidade rural de Peixoto de Azevedo, no Mato Grosso, é o objetivo de 12 integrantes do projeto Ações Interdisciplinares na Promoção da Cidadania com Grupos Sociais Vulneráveis (Integra). O grupo de professores e alunos de pós-graduação da UEL embarca no próximo dia 12 e permanecem na cidade até 22 de julho. 

O projeto Integra promove a inclusão social para a melhoria na qualidade de vida e renda da comunidade alvo. São ações de transferência de tecnologia, de saúde, de educação, ambientais, culturais e de incentivo à produção. 

A meta da equipe é montar seis vitrines tecnológicas para a disseminação de técnicas de produção nas áreas de sanidade animal, manejo da pastagem e rebanho bovino, além de horta comunitária, plantio de pomar de limão tahiti e abacaxi. 

O foco é a capacitação de agentes multiplicadores, portanto, famílias de pequenos agricultores de assentamentos da região. Com cerca de 25 mil habitantes, a cidade de Peixoto de Azevedo fica próximo à divisa com o Pará e a poucos quilômetros do Parque Indígena do Xingu. 

O primeiro desafio para o grupo é percorrer 2.100 quilômetros que separam Londrina de Peixoto de Azevedo. Fazem parte da equipe as professoras Cristiane de Conti Medina e Adriane Marinho. do Departamento de Agronomia e a professora Carmen Hilst, do Departamento de Clínicas Veterinárias. 

Os alunos da pós-graduação são da área de Agronomia, Zootecnia, Medicina Veterinária e Geografia, entre eles Rosalba Adriane Rosa, Francisco Fernandes Junior, Ana Paula Reway, Edson Antonio Rios, Alberto Koji Yamada, Mariana Alves de Oliveira, e Adriano Thibes Hoshino.