quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Programa Universidade Sem Fronteiras da SETI

Lançado o Edital 01/2013 da SETI, chamada de projetos para o programa de extensão Universidade Sem Fronteira relativa a 2013.


O programa, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (SETI), oferece financiamento a projetos de extensão de instituições públicas e privadas nas seguintes áreas: apoio à saúde, apoio à agricultura familiar e agroecologia, apoio às licenciaturas, incubadora dos direitos sociais e diálogos culturais.
 

As propostas de projetos devem ser feitas de acordo com as normas previstas no edital, que pode ser acessado no endereço http://www.seti.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=50, e precisam ser apresentadas até o dia 18 de fevereiro e também precisam ser encaminhadas com a autorização da instituição proponente e de eventuais instituições parceiras.

Caso o docente necessite de apoio para a elaboração do projeto deve agendar horário na PROEX com a Profa. Maria Helena Fúngaro, assessora de Projetos Estratégicos, a partir do dia 30/01, no período da tarde pelo ramal 4592.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Rondon com emoção ou sem emoção?


por Lais Taine

Com emoção! Ontem, onze rondonistas subiram no pau-de-arara e foram para a comunidade rural Serra Grande. Na ida, pararam a viagem para o resgate de um dos tambores que levavam para a oficina de fossa séptica. O tambor se desamarrou do caminhão e ficou pendurado, a parada foi rápida. No caminho, passaram por pontes de rios secos e outras comunidades rurais. A subida da serra garantiu a vista de uma paisagem encantadora.

Ao chegar na comunidade, o grupo se espalhou, dividindo funções entre palestrantes e responsáveis por entreter as crianças. Em poucos minutos, a chuva forte veio para mudar todos os planos para aquela região. As oficinas continuaram no espaço fechado, sem energia, enquanto o restante dos rondonistas aguardava dentro do caminhão, cantando para passar o tempo enquanto se protegiam da chuva. Aos poucos ficaram ilhados, cercados por água, mas nada que um jogo de cintura e pontes improvisadas não resolvessem se acaso algum quisesse sair do local.

Na volta, muita concentração! A ponte, que na ida passava sobre areia, estava sob água. Algumas pessoas de moto esperavam para que a água abaixasse, outros passavam a pé, com a água acima do joelho. O caminhão conseguiu passar, arrancando gritos de comemoração dos rondonistas. Na segunda ponte, a água não chegou, mas a terra úmida não segurava o veículo. Deslizando entre um lado e outro, sem atolar, passaram pelo local com mais gritos comemorativos.

Na chegada do alojamento, todos cumprimentaram seo Toninho, o motorista bom de volante. Em seguida, velas foram acesas, mas não era para santo nenhum, é que o grupo chegou no escuro, ou seja, a cidade estava sem energia.

Bons resultados na primeira semana de Projeto Rondon

por Lais Taine

Os integrantes das equipes da UEL e UNIFAL chegaram ao meio da operação bastante satisfeitos com os trabalhos realizados na cidade de Queimada Nova, PI. A primeira semana foi muito produtiva com oficinas, palestras e cursos, alem de brincadeiras com as crianças.

Quatro comunidades rurais foram visitadas: Pitombeiras, Queimada Grande, Cantinho e Serra Grande. Locais onde a população foi bem participativa e acolhedora, cedendo espaço nas associações comunitárias ou escolas e dando condições para as atividades dos rondonistas. Enquanto isso, outras atividades eram realizadas na cidade. Oficinas relacionadas à gestão, empreendedorismo, comunicação, informática, saúde, educação e meio ambiente aproximaram a população, integrando um público variado.

A Semana Pedagógica, realizada de 15 a 18 de janeiro, teve um encerramento emocionante. Isso porque os participantes, na maioria professores e funcionários da área de educação, planejaram uma homenagem aos rondonistas. Poemas, paródias e composições de músicas sobre o Projeto Rondon em Queimada Nova ilustraram a gratidão da população.

Na cidade ou no campo, as crianças também tiveram seus momentos. Fabricação de brinquedos com material reciclável, como pipa com sacolas plásticas e pé de lata; pintura, massinha de modelar e brincadeiras que incentivavam o cuidado com o meio ambiente foram peças principais no campo. Na cidade, o resgate de brincadeiras antigas e o cinema ao ar livre, com distribuição de pipoca e algodão doce, fizeram sucesso com as crianças e jovens.







quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Dia de surpresa no terceiro dia de operação

por Lais Taine

Entre todas as coisas que já aconteceram na operação, uma merece destaque. A boa nova é que a chuva, que tanto fez falta e que não se atrevia a aparecer há mais de um ano, resolveu visitar a população de Queimada Nova.
Desde que a equipe chegou na cidade, foram presenciadas algumas ameaças, ocorrendo até  chuviscos que teimavam em pingar e ir embora antes que pudessem  ser comemorados. Na noite de ontem, o chuvisco foi persistente e se tornou chuva abundante, trazendo uma parte da água que Queimada Nova precisa. A felicidade estampada no rosto da população foi nítida e as oficinas precisaram ser interrompidas por alguns minutos para permitir os comentários de boas-vindas à chuva.
Enquanto alguns rondonistas viam a chuva do alojamento, outros voltavam do trabalho pisando em poças na rua. E na noite, antes do descanso, todos puderam se deitar como se no dia seguinte fossem encontrar uma cidade nova, pois com toda a seca, mais que uma necessidade física, a água da chuva veio também para lavar o espírito de toda gente que mora por essas bandas.



Trabalhos continuam a todo vapor em Queimada Nova


por Lais Taine


Os Rondonistas da UEL e Unifal estão a todo vapor nas atividades da Operação Canudos, em Queimada Nova (PI). A quarta-feira começou com palestras na área da saúde e oficinas na Semana Pedagógica. A Rádio Comunitária Esperança FM entrevistou dois alunos, um de cada equipe, para esclarecer os objetivos do Projeto à comunidade e divulgar as oficinas para a população.

No período da tarde um grupo de rondonistas foi para a comunidade quilombola Pitombeiras, cerca de 20 km de distância de Queimada Nova. Em área rural, as palestras trataram sobre saneamento e meio ambiente, alternativas para alimentação do rebanho em época de seca, manejo da ureia na alimentação do rebanho, manejo e principais doenças de caprinos e ovinos, seleção de sementes e compostagem, oficina prática de montagem de fossa séptica, além de atividades lúdicas com as crianças, incentivando a educação ambiental.
À noite, mais seis oficinas foram realizadas. A população de Queimada Nova ficou dividida entre as oficinas de tecnologia, com a apresentação do LibreOffice para educadores; Trabalho, ensinando Técnicas de Vendas; palestra sobre Gestão de Políticas Públicas, entre outras na área da saúde.
Como todos os dias, as crianças tiveram as atividades da gincana, com brincadeiras e jogos no período em que as apresentações eram realizadas.





Queimadanovenses participam de atividades promovidas por rondonistas


por Lais Taine

A equipe de rondonistas da UEL e Unifal iniciaram suas atividades na manhã de terça, 15, na cidade de Queimada Nova, no Piauí. O dia foi preenchido com diversas oficinas, palestras e recreações com grande participação da população queimadanovense.
Na parte da manhã, foi iniciada a Semana Pedagógica, reunindo 110 professores e funcionários da área de educação da cidade. O dia foi preenchido com cursos e palestras na Escola Estadual Padre Teixeira. Enquanto isso, outros rondonistas foram conhecer a situação do lixão, para elaborar uma proposta para a destinação do lixo.
Durante todo o tempo de palestras e oficinas, grupos de rondonistas ficaram cuidando das crianças, promovendo atividades lúdicas. No final da tarde, as crianças participaram de uma gincana. As equipes apresentaram brincadeiras e jogos antigos, que foram perdidas pelo tempo e se tornaram desconhecidos à nova geração infantil. 
Na parte da noite, outras oficinas foram realizadas: saúde, comércio e novas tecnologias foram os temas que dividiram espaço na escola. Enquanto isso, crianças e jovens assistiam o filme no cinema aberto, promovido na quadra esportiva da mesma escola.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

UEL e Unifal já começaram atividades em Queimada Nova

Por Lais Taine


Os Rondonistas da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Universidade Federal de Alfenas (Unifal), participantes da Operação Canudos, do Projeto Rondon, chegaram ontem, dia 13, ao município de Queimada Nova, no Piauí. A equipe, acompanhada pelo Sargento Geovane Vargas, do 72º BIMtz, está instalada na escola Manoel Gomes.


No dia da chegada, os alunos e professores se reuniram com autoridades da cidade para uma conversa sobre o projeto e as ações que serão desenvolvidas. Nesta reunião, o prefeito Celso Amorim agradeceu a oportunidade de receber o Projeto Rondon e falou de algumas dificuldades da região: “A gente já conhece as dificuldades, mas não podemos parar de tentar, é por isso que o Projeto Rondon está aqui”.

O principal problema é a seca. Há quase um ano não chove na região e 85% do território do município é rural. Uma barragem foi construída, mas aguarda a chegada da chuva para ser abastecida pela primeira vez e a partir daí servir de reservatório para a cidade. “Muda tudo quando chove, muda tudo. As pessoas ficam diferentes, ficam felizes”, comenta Amorim.

Ao final da reunião, um dos coordenadores de equipe, Tomaz Araújo, falou sobre o trabalho planejado e da vontade em ajudar. “Nós não estamos aqui para julgar, apontar os erros, nós estamos aqui para ajudar. Isso vai muito além dos quinze dias do Projeto, nós temos um grande número de universitários e professores especialistas, que não vieram, mas que podem auxiliar vocês depois”.

Na manhã de hoje, toda a equipe foi apresentada ao município em um evento realizado na praça principal, local onde ocorre uma feira-livre em todas as segundas-feiras. A cidade recebeu os rondonistas com o hino do Piauí, cantado por crianças da pré-escola Manoel Gomes e da Escola Estadual Padre Teixeira. A equipe aproveitou para conhecer um pouco a cidade, estreitar as relações com os moradores, explicar sobre as diversas ações e convidá-los a participar das oficinas e palestras.

O escultor de carrancas


por Lais Taine

Severino Borges de Oliveira, 72, é artesão em Petrolina. Satisfeito com o seu trabalho, orgulha-se de ser o primeiro na região a esculpir carrancas, iniciando na década de 70, quando engenheiros vieram para sua terra construirem a barragem de Sobradinho.

O escultor faz parte da Associação dos Artíficies de Petrolina (ASSAPE) e, trabalhando dia e noite, em sua vida severina, alimenta os 23 filhos. “Nós comemos tudo o que eu ganho, ninguém passa fome perto de mim!”. Teve sete mulheres, todas selecionadas na soma do artesão por critério de serem mães de algum filho seu, o restante não entraram na conta.

Animado, o artesão sabe sobre a sua disposição: “Ninguém diz que tenho 72 anos!”, não mesmo. Severino tem o apelido de Bitinho, de bi, porque ele trabalha por dois. Gosta de esculpir as carrancas, usadas para espantar maus espíritos. Ele conta a lenda com seriedade, de acordo com o artesão, a carranca chegou ao Brasil quando um padre encontrou uma escultura afundada no rio.

Com toda sua dedicação, Severino mostra a carranca que ele produzia há 10 dias. A madeira mais utilizada é a Umburana e o trabalho completo dura cerca de um mês para produzir uma carranca de um metro.

Rondonistas da UEL chegam em Petrolina

por Lais Taine


Após 17 horas de viagem, a equipe da Universidade Estadual de Londrina (UEL), participante da Operaçao Canudos, chegou no 72º Batalhão da Infantaria Motorizada, em Petrolina (PE). Os rondonistas ficaram alojados até o inicio a tarde de domingo, quando partiram para a cidade de Queimada Nova (PI).
Enquanto aguardavam a chegada das outras equipes, os alunos puderam conhecer a cidade num passeio programado pela organização do Projeto Rondon. As cinco equipes que chegaram na sexta-feira, visitaram a orla do Rio São Francisco, que divide Pernambuco e Bahia nas cidades de Petrolina e Juazeiro; a catedral; o bodódromo, área gastronômica que tem como prato principal a carne do bode; e o shopping da cidade.
 
Na manhã de sábado, o passeio ficou no interior e aos arredores do Batalhão. A equipe visitou o zoológico interno, a área botânica com espécies da região e o cactário, apresentando os diversos tipos de cactos e vegetação que sobrevivem à seca na região semi-árida do Brasil. Em uma conversa descontraída com o Sargento Negreiro, militar há 18 anos, tiraram duvidas sobre o trabalho e a rotina no exército.  No mesmo dia, a equipe ainda passeou pelos arredores do Batalhão e caminharam até a Associação dos Artíficies de Petrolina (ASSAPE), descobrindo curiosidades sobre o artesanato e a cultura da região.


No total, 380 rondonistas, de 38 Instituições de Ensino Superior (IES), chegaram para participar desta Operação. A abertura desta edição do Projeto Rondon foi realizada na manhã de domingo com todos os rondonistas presentes.

Equipe de rondonistas da UEL parte para o nordeste brasileiro

A equipe da UEL selecionada para integrar a Operação Canudos – Ação B, do Projeto Rondon, embarcou na noite de quinta-feira, dia 10, para Queimada Nova, no Piauí. Os estudantes estão acompanhados das professoras Carmen Lucia Scortecci Hilst (CCA) e Maria Helena Fungaro (CCB).

A viagem foi longa até o destino: os alunos passaram por Curitiba e Brasília, chegando a Petrolina depois de 16 horas de viagem, alojando-se por dois dias no 72º Batalhão da Infantaria Motorizada, de onde partiram, em conjunto com a Universidade Federal de Alfenas, para o Piauí.

O objetivo do Projeto é desenvolver atividades que contribuam para o desenvolvimento sustentável da comunidade e ampliação do bem estar da população. Ações como educação ambiental; incentivo à produção de hortas; manejo de caprinos e ovinos; manejo de pastagem e nutrição animal; resgate da história local e identidade da população; estímulo à economia solidária e à organização comunitária; gestão de resíduos; e práticas de instalação de fossas sépticas, estão entre as propostas da equipe da UEL.

Além das professoras que coordenam a equipe, viajaram oito alunos: Camila Balestri dos Santos, Fernanda Zandonardi Machado, Isaque Motta Barbosa, Lais Taine de Oliveira, Luiza Reis Simionato, Mônica Belém, Tânia Eiko Eishima e Tatiane Lobak.

As cidades selecionadas para receber o Projeto estão entre as com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. A Operação Canudos levará 400 alunos de 40 Instituições de Ensino Superior do Brasil a conhecer uma parte do nordeste brasileiro, onde estão comunidades carentes da região. Além dessa, mais duas Operações serão realizadas: São Francisco e 2 de Julho, com ações nas regiões de Aracaju e Salvador, no início de 2013.



quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Conheça a equipe da UEL que vai trabalhar no Projeto Rondon, em Queimada Nova - Piauí

Nessa semana, a UEL, através do Ministério da Defesa, encaminhará oito alunos e duas professoras que representarão a universidade no Projeto Rondon, em Queimada Nova, no Piauí. A Equipe vai participar da Operação Canudos e tem a missão de promover ações nas áreas de Comunicação, Tecnologia e Produção, Meio Ambiente e Trabalho, integrando o Conjunto B, para o qual foi selecionada.
Veja quem faz parte da equipe e quais são as propostas de trabalho:




Camila Balestri dos Santos, 23 anos. Geografia/4º ano.
Camila levará oficinas que incentivem a coleta seletiva, o plano de gestão de resíduos sólidos e irá oferecer ajuda para a implantação e operação do aterro sustentável da cidade.






Isaque Motta Barbosa, 23 anos. Administração/3º ano.
Serão ofertados por ele, minicursos sobre planejamento estratégico, empreendedorismo e economia solidária, além de oficinas sobre gerenciamento de projetos, técnicas de vendas, precificação de produtos, administração pública e trabalhará com o incentivo de implantação de associações e cooperativas.





Fernanda Zandonardi Machado, 22 anos. Medicina Veterinária/4º ano.
Fernanda cuidará de oficinas que abordem o manejo de ovinos e caprinos, manejo de ureia e a produção de leite de qualidade.









Lais Taine Oliveira, 25 anos. Comunicação Social – Jornalismo/4º ano.
Lais levará oficinas que incentivem a comunicação e o resgate da cultura e história local. Foram planejadas oficinas para a implantação de rádios comunitárias e o aperfeiçoamento da rádio já em funcionamento na região, a aluna também trabalhará com oficinas de implantação de rádio escola e jornal escola, blogs e mídias sociais, além de planejar um cinema ao ar livre e o evento cultural de contação de estórias.



Luiza Reis Simionato, 21 anos. Engenharia Civil /4º ano.
Luiza está levando oficinas sobre construção de fossa séptica, clorador artesanal, cisternas, caixas de evapotranspiração, desidratador solar de alimentos, luminária solar com garrafa pet e falará sobre a importância do saneamento básico e sobre as doenças transmitidas pela água.








Mônica Belém, 22 anos. Biomedicina/4º ano.
Ela está levando oficinas de artesanato com materiais recicláveis e brinquedos feitos com material reciclável. Mônica pretende abordar alguns temas na área do Meio Ambiente, como a importância da conservação ambiental, o destino correto do lixo hospitalar, além de consumo e redução de resíduos sólidos.







Tânia Eiko Eishima, 22 anos. Ciência da Computação/4º ano.
Tânia está levando oficinas de informática e novas tecnologias, ferramentas educacionais e de multimídia, internet e Libre Office.












Tatiane Lobak, 25 anos. Agronomia/5º ano.
A aluna de Agronomia planeja oficinas de compostagem, equipamentos de proteção individual (EPI), hortas agroecológicas (caseiras, escolares e comunitárias), produção de sementes próprias de milho, viveiros de mudas, controle de cochonilhas em Palma Forrageira e alternativas para alimentação do rebanho em época de seca.




Carmen Lucia Scortecci Hilst, do Centro de Ciências Agrárias, e Maria Helena Pelegrinelli Fungaro, do Centro de Ciências Biológicas, são as duas docentes que comandarão a equipe, responsáveis pelo cumprimento da proposta selecionada pelo Ministério da Defesa. A tarefa não é simples: além do cuidado com toda a equipe (documentação, alimentação, estadia e saúde), as professoras têm a missão de organizar os alunos para que os trabalhos sejam efetivos e que possam ter efeito sobre a população.
Para isso, uma das professoras, e coordenadora de equipe, Carmen, fez a viagem precursora na cidade de Queimada Nova. Ela colheu todos os dados necessários para que o trabalho seja bem aproveitado. Foram 5 dias de conversa com a população e administradores públicos da região.
Após conhecer as necessidades do local, foi realizada a seleção dos oito alunos que participariam da Operação. Com a equipe formada e com os apontamentos sobre as necessidades do local, foram realizadas reuniões para a decisão das oficinas que poderiam ser ministradas no local.
A equipe vai partir nesta quinta-feira, 10, até Petrolina (PE), ao encontro dos 400 rondonistas, das 40 Instituições de Ensino Superior que estarão participando dessa mesma Operação e depois serão encaminhados, em conjunto com a Universidade Federal de Alfenas, até Queimada Nova.
Além desta, o Projeto Rondon do primeiro semestre de 2013 terá mais duas Operações: São Francisco e 2 de julho, que serão realizadas nas regiões de Aracaju e Salvador, com início também em janeiro.