segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Entrevista - Projeto de Extensão: Desenvolvimento participativo da cadeia produtiva sustentável de aves no Assentamento Iraci Salete

Coordenadora do Projeto de Extensão e entrevistado: 
Ana Maria Bridi

Participante do Projeto: 
Lourival de Oliveira (assentado)


Desde 2014, o projeto de extensão "Desenvolvimento participativo da cadeia produtiva sustentável de aves no Assentamento Iraci Salete" da Universidade Estadual de Londrina (UEL), é desenvolvido no referido assentamento, localizado no município de Alvorada do Sul (Região Metropolitana de Londrina).

Os docentes, Ana Maria Bridi, do departamento de Zootecnia, e Adilson Luiz Seifert, do departamento de Agronomia, atuam na coordenação do projeto. As ações contam com o apoio técnico da agente universitária do Laboratório de Medicina Aviária (Departamento de Medicina Veterinária Preventiva - CCA), Kerlei Médici.

Também participam da iniciativa estudantes do Grupo PET de Zootecnia (Programa de Educação Tutorial do curso de Zootecnia), da CATECz (Empresa Júnior do curso de Zootecnia), além de bolsistas dos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia. 

A proposta visa estabelecer processos produtivos baseados na produção sustentável e nos princípios da agroecologia. Toda a produção considera os fatores ambientais locais e os fatores sociais envolvidos no processo.

Após o projeto ter sido contemplado com o Prêmio Santander Universidades 2015 na categoria Universidade Solidária recebendo a premiação de R$ 100 mil em barras de ouro, os coordenadores e a comunidade investirão o valor integralmente na construção de um mini abatedouro de aves no assentamento.





Segundo a coordenação, a infraestrutura garantirá a inclusão do assentamento no Programa Nacional de Alimentação Escolar, que prevê que 30% da merenda escola sejam adquiridos de pequenos produtores rurais. Possibilitando um acréscimo de 30% na renda das famílias atendidas pelo projeto.



O projeto extensionista concorreu ao prêmio com mais de 23 mil projetos universitários de graduação e pós-graduação. Além do incentivo financeiro, serão recebidas bolsas de estudos para o aperfeiçoamento técnico dos monitores da iniciativa.



Ana Maria Bridi também atua como tutora do Programa de Educação Tutorial da mesma graduação. Além de coordenadora, a professora se destaca como a idealizadora do projeto.


PROEX: Como surgiu o projeto e atualmente quantos professores, alunos e técnicos estão envolvidos?

Ana Maria Bridi: Esse projeto nasceu dentro do programa PET de Zootecnia, que envolve ensino, pesquisa e extensão. Então, todas as atividades devem ter as três áreas envolvidas. 

Os alunos solicitaram um projeto que envolvesse ensino e pesquisa. Após isso, nós começamos a trabalhar e construir um projeto de extensão que contemplasse as necessidades do grupo. 

Pois, a partir do momento que o aluno vai ao assentamento, ele volta diferente. Ele está interagindo com uma nova realidade, ele está recebendo informações desses assentados e volta com um monte de dúvidas e conhecimentos culturais que tem nessa região; é um projeto de ensino para esses alunos.

É um projeto de ensino também porque eles têm que desenvolver uma metodologia de como analisar essa realidade e como trazer propostas, que também envolvem pesquisa bibliográfica e prática. E extensão também porque parte do conhecimento gerado aqui na UEL é repassado aos produtores. 

O projeto ganhou corpo maior, quando surgiu a possibilidade de nós inscrevermos ele no Programa Universidade Sem Fronteiras. Nós ampliamos as atividades e convidamos a Empresa Júnior para nos ajudar no atendimento. 

Assim, atualmente nós temos oito docentes das graduações de Medicina Veterinária e Zootecnia. Agora entre os discentes e servidores, se encontram cerca 25 alunos (Grupo PET, Empresa Júnior e discentes de outras áreas) e um técnico que nos dá todo o apoio e é uma das peças fundamentais deste projeto.



P: Quantas famílias participam do projeto?

AM: No assentamento existem 60 famílias. Mas, que participam hoje conosco nas reuniões, oficinas e palestras são entorno de 18 famílias, e as que recebem as visitas técnicas quinzenais são oito.

Agora com o desenvolvimento deste projeto que é a construção do abatedouro, nós acreditamos que vai aumentar o número de famílias que vão ingressar nessas atividades. Pois, como agora você tem a perspectiva de comercialização do produto, então nós acreditamos que mais pessoas irão ingressar.




P: Como funcionam as atividades do projeto?

AM: Nós fazemos reuniões com os assentados e durantes elas nós discutimos as necessidades de cada um ou do coletivo. Geralmente, um problema de uma propriedade é problema de todos. Pois, nós lidamos com rebanho. E junto com eles, traçamos estratégias de ação.

Por exemplo, nós tínhamos uma problemática que era a mortalidade muito grande de aves. Eles relataram isso: “morrem muitas aves, que nascem ou que a gente traz pintinhos de um dia para a propriedade”.

Então fizemos um levantamento para descobrir qual é a causa dessa mortalidade. E depois nós começamos a trabalhar através de palestras e oficinas sobre essas questões que envolviam uma possível contaminação nas incubadoras e outros problemas que ligados aos cuidados técnicos básicos.

É assim que tentamos resolver as dificuldades, seguindo o procedimento de sempre discutir os problemas após as reuniões e depois realizamos um levantamento para ajudá-los a resolver.

P: Como surgiu a necessidade do mini abatedouro de aves?

AM: Nós trabalhamos mais na parte da produção animal, principalmente com aves (carne de frango) e ovos. Nós estávamos tentando melhorar a produção de aves para a produção de carne e chegou ao ponto em que eles queriam comercializar, mas não tinham a inspeção sanitária. E a venda que eles tinham desse frango, era meio clandestina, eles mesmos produziam, abatiam e vendiam em casas e feiras sem fiscalização. Assim, eles tinham medo da fiscalização e não aumentavam a produção.

Para você ter a inspeção é preciso ter um mini abatedouro e agora o Prêmio Santander veio para iniciarmos a construção no assentamento. A partir do momento que tiver o mini abatedouro dentro dos padrões exigidos pela fiscalização, a prefeitura de Alvorada do Sul se responsabilizou em contratar um médico veterinário para fazer a inspeção sanitária. 

Assim, eles irão poder comercializar essa carne, podendo oferecer o produto na merenda escolar da cidade.




P: Existe alguma diretriz para a comercialização dos produtos? 

AM: Na verdade nós não determinamos nada, eles estão livres para comercializar. O que iremos auxiliar é na construção de uma marca e no marketing desde produto. Que é um produto agroecológico e de caráter social, pois vem de um assentamento rural.

P: Qual é a importância do reconhecimento das atividades do projeto por meio do Prêmio Santander?

AM: Esse prêmio foi até uma surpresa para a gente pelo pouco tempo de atuação do projeto. Os assentados ficaram muito felizes, porque a realidade brasileira é difícil, porque assim que o sem-terra consegue um pedaço de terra para plantar, ele não recebe muita ajuda do governo. 

Eles passam por muitas dificuldades. Eles têm a terra, tem vontade produzir, mas não tem dinheiro para investir. Pois, você precisa comprar cercas, equipamentos e animais e isso falta. Então, quando veio o prêmio para a construção do abatedouro, que era um sonho antigo deles, eles ficaram empolgados. 

Isso está se transformando em realidade, é uma possibilidade de aumentar a renda, tem famílias que tem renda de 500 reais por mês, em média. Existem famílias que estão ganhando entre um e um e meio salário mínimo para o mês. Algumas irão dobrar o rendimento com a atuação do projeto.

P: E para os alunos? 

AM: Para os alunos, é ótimo perceber que aquilo que você está trabalhando recebeu uma menção honrosa. Porque para nós o que ficou foi o troféu. O Prêmio Santander nos deu um trabalho, que é desenvolver esse projeto, construir o abatedouro e organizar o funcionamento dessa unidade e ajudar na comercialização dos produtos. O que nós ganhamos foi o estímulo, vocês estão indo pelo caminho certo, você estão ajudando a sociedade e estão tornando essa universidade mais solidária. Acho que esse foi o prêmio que recebemos.

O produtor rural Lourival de Oliveira, 48, mora com a sua família há 16 anos no assentamento e cria em seu lote de 3,6 ha, animais para abate. Há dois anos na criação de frango, Lourival também trabalha com gado e suínos. Participante assíduo do projeto, ele se mostra otimista em relação à expansão das atividades.




P: Quais são as expectativas do senhor e da comunidade para a construção do mini abatedouro?

L: Eu acredito que virão muitas coisas boas, porque sem o abatedouro você fica vendendo aos poucos, meio clandestino. Com a construção você vai legalizando e pode conseguir outros mercados, como feiras e supermercados. Com o frango legalizado você tem essa condição.

P: Em relação à infraestrutura, o que o senhor acredita que pode ser melhorado?

L: Eu acredito que tem que melhorar bastante, porque uma coisa puxa outra. Com o abatedouro você precisa produzir mais e, consequentemente, melhorar também a sua estrutura. Tanto na estrutura física, quanto nos cuidados com a higiene.

P: As oficinas realizadas pelo projeto têm contribuído para a capacitação técnica dos produtores?

L: Eu acredito que tem melhorado bastante, estamos aprendendo muito. Não só aqui, nessas reuniões, oficinas e nas visitas dos veterinários e zootecnistas da universidade, que nos tem ajudado. Mas também temos procurado participar de palestras em outras cidades para conhecer novos projetos.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Curso de Tutoria em Educação à Distância recebe inscrições

Fonte: Agência UEL 

Estão abertas as inscrições para a quarta turma do curso Tutoria em EAD, ofertado pelo Laboratório de Tecnologia Educacional (Labted) e Núcleo de Educação à Distância (NEAD). As inscrições podem ser feitas até dia 21 de dezembro no endereço www.uel.br/eventos/insc/?id=2378. O valor é de R$ 150,00.

O objetivo do curso é qualificar os participantes para atuar como tutores a distância para o desenvolvimento de atividades de orientação à tutoria nos cursos realizados na modalidade de educação à distância.

As aulas serão ministradas no período de 18 de janeiro a 16 de março de 2016, com 50 horas de carga horária. Informações somente pelo e-mail tutorianeaduel@gmail.com. 

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Palestras abordam temas sobre estudos de Grafologia

O Departamento de Geociências da UEL realizará nos dias 15 e 17 do mês de dezembro, palestras sobre Grafologia e suas implicações nos caminhos do autoconhecimento. Esse evento é coordenado pelo Professor Dr. Edison Archela.

As palestras realizadas seguirão com o objetivo de conceituar, capacitar e historiar os participantes sobre as noções da Grafologia e suas relações com o autoconhecimento. Também abordando assuntos em torno da Escrita, como  sua formação, características da Escrita Pictórica e Ideográfica, as complexidades do ato de escrever e noções Grafológicas para compreender os impulsos psicológicos que participam desse ato, assim como pressão, velocidade e forma da escrita.

Esse evento é aberto à toda comunidade, pois, visa conceder a oportunidade de apresentar a todos uma nova oportunidade de conhecimento dessa ciência pouco difundida e conhecida.

As inscrições possuem o valor de R$5,00; referente ao certificado que os participantes receberão. Os interessados deverão se inscrever no Departamento de Geociências da UEL em qualquer período.

No dia 15 o evento será iniciado às 15h00 e no dia 17 às 19h00, ambos serão realizados na sala de multimeios do CCE/UEL.

Para mais informações entre em contato com os organizadores através do telefone 3371 4154 ou archela@uel.br.



terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Inscrições para o II Concurso do Projeto Charrete encerrarão nesta quarta-feira

O Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UEL promovem o II concurso do projeto Charrete, que será realizado nos dias 12 e 13 de dezembro de 2015. Evento coordenado pelo Prof. Dr. Rovenir Bertola Duarte.

O CHARRETE será um concurso entre os estudantes do departamento que visa promover a interação entre os estudantes de todos os anos, procurando englobar várias áreas de conhecimentos e estimular a criatividade no desenvolvimento de projetos em Arquitetura.

O intuito principal é instigar a autonomia, pro-atividade e capacidade de improvisação dos participantes, além de conseguirem aplicar conhecimentos adquiridos em sala de aula, promovendo a discussão projetual e o exercício de atividade em grupo.

As inscrições devem ser realizadas no próprio Departamento com alunos do curso ou também no NEPEA (Núcleo de Estudos e Pesquisa de Engenharia e Arquitetura da UEL), a taxa é de R$30,00 com alimentação e materiais inclusos. O prazo para inscrições se estenderá até o dia 09 de dezembro. O evento terá inicio às 14h00 no dia 12 (sábado).

Para mais informações ligue para 3371-4535, mande e-mail para cacau.uel@gmail.com ou acesse a página virtual do evento através do link https://www.facebook.com/events/1644093539209941





segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

“Espécies emergentes de danos indenizáveis” encontro promovido pelo Mestrado em Direito Negocial da UEL

No próximo dia 11 de dezembro (sexta-feira), o Mestrado em Direito Negocial da UEL promove um encontro que abordará o tema “Espécies Emergentes de Danos Indenizáveis”. O evento coordenado pelo Doutor em Direito da Cidade - Miguel Etinger de Araújo Junior, será aberto para alunos e professores da graduação e pós-graduação do Direito e áreas afins.

Esse evento tem como objetivo apresentar e debater questões contemporâneas acerca do cenário atual relacionado aos danos ocasionados a terceiros em função das novas relações jurídicas do século XXI. Também abordará análises sobre algumas diferenças da responsabilidade civil em Portugal e no direito comparado, além de, buscar identificar os projetos internacionais de harmonização do direito privado em relação à indenização decorrente do (i) dano biológico; (ii) dano puramente econômico; (iii) tutela da confiança.

Os temas abordados nesse encontro tornam-se necessários, por perceber que a dinâmica das relações individuais e coletivas da atualidade apresenta para o Direito o desafio de se adaptar às novas conexões na busca de instrumentos jurídicos adequados a esta nova realidade.

Será realizado no Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos da UEL (EAAJ) das 09h00 às 10h30. As inscrições serão gratuitas e deverão ser realizadas no próprio local. Aos participantes que optarem pelo certificado de participação o custo da inscrição passa a ser  R$10,00.

Para mais informações ligue para 3371 4693 ou entre em contato através do e-mail miguel.etinger@gmail.com.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Abertas inscrições para mobilidade docente entre Brasil e Argentina

Fonte: Agência UEL 

A Universidade Estadual de Londrina, em parceria com o governo estadual e a Rede Zicosur (Zona de Integración del Centro Oeste de América del Sur), abriu inscrições para projetos de mobilidade docente entre a UEL e a Universidad Nacional de Clilecito (Argentina).

O edital nº 01/2015, da Assessoria de Relações Internacionais, contempla projetos de trabalhos entre docentes das duas instituições e as inscrições devem ser feitas até o dia 11 de dezembro, na ARI. Os projetos aprovados serão executados a partir de março do ano que vem. Eles receberão passagens aéreas da instituição de origem e até 15 diárias da instituição que recebe o docente.

A seleção dos projetos se dará pelos seguintes critérios, segundo o currículo do coordenador:
1  Capacitação do Coordenador: Doutorado (10 pontos) e Mestrado (5 pontos);
2  Bolsista: CNPq (10 pontos) e Fundação Araucária (5 pontos);
3  Orientações Stricto sensu: Doutorados - concluídos (até 10 pontos) e em andamento (até 5) - e Mestrados: concluídos (até 5) e em andamento (até 3);
4  Trabalhos publicados: até 10 pontos;
5  Projetos: Com fomento externo - concluídos (até 10) e em andamento (até 5) - e sem fomento externo: concluídos (até 5) e em andamento (até 2).

No caso de empate, o primeiro critério de desempate é a primeira maior nota nos critérios numerados e ordenados acima. Persistindo o empate, será considerado o candidato há mais tempo na UEL e, depois, o de maior idade.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail uelari@uel.br ou pelos telefones (43) 3371-4928 / 5897 / 4188. 

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Departamento de Artes Visuais realiza o evento Paisagens Invisíveis

Com o intuito de dar mais visibilidade aos espaços públicos urbanos e ecológicos abandonados de Londrina, o Departamento de Artes Visuais da UEL promove o evento “Paisagens Invisíveis”, coordenado pelos Professores Drs. Kennedy Piau  e Luiz Carlos S. Jeolás

O evento é uma realização do Projeto PROMIC juntamente com um projeto de extensão da UEL e procura ocupar a mata do Marco Zero com uma performance criada em conjunto que é resultante do processo de mapeamento poético da cidade de Londrina.

Essa ocupação de espaços abandonados da cidade tem a intenção de tornar mais visíveis os problemas que por muitas vezes passam despercebidos pela sociedade e também alcançar uma nova visão desse local, trabalhando a visibilidade desses espaços e permitindo um diálogo entre a relação do espaço aberto e a sociedade.

Será realizado na Mata Marco Zero – Av. Theodoro Victorelli, 161, no dia 10 de dezembro de 2015 e é aberta a toda a comunidade londrinense.

Para mais informações entre em contato com projetoencantacao@gmail.com ou pelo telefone 3354- 2060.


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Seminário encerra prazo de inscrições nesta quinta-feira (3)

Fonte: Agência UEL de Notícias 


Termina nesta quinta-feira (3) o prazo de inscrições e de envio de trabalhos para o 3º Seminário de Pesquisas do Laboratório de Estudos sobre Religiões e Religiosidades (LERR). Os interessados poderão fazer a inscrição no endereço www.uel.br/eventos/insc/?id=2336. Os valores das inscrições são de R$ 10 (ouvintes), R$ 20 (graduandos), e R$ 30 (graduados, pós-graduandos e profissionais).

O evento tem início no dia 7 de dezembro, às 19h15, no Anfiteatro Maior do CCH, com a mesa-redonda "Diversidade e diferenças religiosas", que será ministrada pelos professores Eduardo Meinberg Maranhão, da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR), e Andreas Hofbauer, da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP/Marília). O Seminário prossegue até o dia 9 com palestras, minicurso e grupos de trabalhos.

A comissão organizadora presidida pelo professor Fábio Lanza, coordenador do Laboratório de Estudos sobre as Religiões (LEER), conta com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), especialização em Religiões e Religiosidades, Laboratório de Pesquisa em Ciências Sociais, Programa Observatório de Educação (OBEDUC), Programa de Mestrado em Ciências Sociais, Programa de Mestrado em História Social e Programa de Mestrado em Políticas Públicas/Serviço Social.

Informações no telefone (043) 3371-4456 ou no site www.uel.br/laboratorios/religiosidade. Também é possível encontrar informações no link www.facebook.com/events/142850999412212/.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Departamento de Computação da UEL oferece cursos sobre informática à comunidade

Cursos sobre Informática e Internet e Editor de Textos são promovidos pelo Departamento de Computação da UEL. Por iniciativa de professores do Departamento e coordenado pelo professor Fábio Sakuray, os cursos tem como objetivo apresentar conceitos básicos de informática para a comunidade em geral.

O intuito principal dos cursos é orientar os participantes sobre as melhores maneiras de trabalhar com software e hardware, sistemas operacionais e componentes de hardware do computador além de abordar temas a respeito de conceitos sobre a Internet, cuidados necessários, como utilizá-la e ferramentas de busca.

O curso de Informática e Internet ocorrerá entre os dias 08 a 12 de dezembro às quintas-feiras no horário das 19h00 às 22h00, e será realizado na Comunidade CEFAS localizada na Rua João Sanches Castro, 100 - Jd. Portal de Versalhes II - Londrina. O ministrante responsável será o aluno João Vitor K. Nahra.

O curso de Edição de Texto está programado também para o período de 08 a 12 de dezembro de 2015 e será realizado às segundas-feiras entre às 08h00 às 16h30 no Centro de Convivência do Idoso, que está localizado na Rua Serra Pedra Selada, 111 - Jardim Bandeirante e terá como ministrante o aluno Amom Foratto.  

Ambas as inscrições estarão disponíveis até dia 05 de dezembro de 2015 e devem ser realizadas nos locais dos eventos.


Para mais informações entre em contato através do telefone (43) 3371 5856 ou pelo e-mail sakuray@uel.br.